Follow by Email

domingo, 25 de outubro de 2009

e pá eu te reconheci....



-Você quase não sai de casa!!!!
-Você só tem esses amigos? Credo.
-Você está sentindo alguma coisa?....é...será depressão?! Conheço um remédio que faz milagres!


Esses comentários são uma constante em minha vida. No início respondia uma a uma. Hoje só dou uma risada.
O pior para mim é o tal do: HOJE É Sexta-feira!!!!
Para quem trabalha a semana toda como escravo em dia de festa, se tem uma coisa que sei, muito bem, é que é sexta-feira. Acho até que assim como eu, todos os trabalhadores brasileiros trabalham para esperar a sexta feira chegar e para o Fantástico não começar.
Tenho um sobrinho de 18 anos, na verdade falo sobrinho por que na árvore genealógica vai constar para todas as gerações da minha família. Porque na verdade ele esta entre os meus pouquíssimos amigos, tanto que nunca fui chamada de titia ( graças a DEUS), quem nos vê conversando poderia interpretar como a véia louca tentado seduzir intelectualmente a criança.
Ele é um dos portadores dessas perguntas, nunca entendeu o porquê de tanta quietute em uma pessoa tão ativa como eu.
Semana passada, ele ligou e muito antes do alô, disparou:
-Meu melhor amigo ficou com minha garota.
A voz dele denunciava uma dor latente, um pedido de ajuda urgente, um remédio qualquer para aliviar aqueles sintomas que ninguém no mundo sabe explicar,exatamente, onde dói.
Já tinha passado por isso com a mesma idade dele, fui capaz de sentir até o gosto da angustia.
Ouvi com atenção toda a história, mas a pergunta já estava elaborada.
- Seu o quê? Perguntei ansiosa pela resposta.


-Melhor amigo! Respondeu com uma certeza tão incerta quanto se amanhã vai chover.

-Melhor amigo o quê? Que dia, que horas, que um melhor amigo, aliás nem precisa ser o melhor, que uma amigo dilacera uma alma? Respondi aos berros, a indignação exalava pelos poros.


-Mas nos dias de hoje é assim, você vai para boate e pá (esse pá sempre me vez pensar muito, o que será na integra esse pá?) e quanto pá você esta pegando a mina. Respondeu cheio de si.


Se nos dias de hoje é assim, se no meio de tantos "pás" um trai o outro sem a menor cerimônia, porque estaria sofrendo? Tudo indicava que já tinha lido o manual de instrução, já estava avisado...portanto não era traição (ao menos no mundo deles), mas sim uma reação consequente.
Pensei em falar, mas vi em sua voz uma pessoa que tem pavor das regras sociais e que sua dor era de quem acreditava em sentimentos, principalmente em amizade e estava sentindo o fel que era a traição.
Respirei fundo e descorri:
-Meu querido, para mim ,se tem algo que é sagrado é o tal sentimento, é ele que nos nutre. Somos ávidos por sensações boas, é claro. E a amizade é algo tão grande e tão repleto destes sentimentos que chega a nos entupir dessas sensações. Isso exige alma, tempo, zelo e afeto muito afeto.
Você sempre questionou o meu número de amigos, concordo que minha mesa de bar não ultrapassará duas mesas com quatro cadeiras, mas vou te perguntar uma coisa: tem coisa mais aconchegante que estár cercada de pessoas que conhecem e respeitam até seu piscar?
Amigo de verdade não precisa falar todo dia, toda hora. Um dos meus amigos, me liga todo santo dia de manhã para conversar miolo de pote, em compensação tenho outros que ficamos meses sem nos ver ou falar e quanto isso acontece é tão natural como se morássemos juntos. Não existe uma regra de tempo, não existe exigências....existe amor, respeito e cumplicidade.
Entenda, quando as coisas são verdadeiras elas fluem naturalmente!
Nunca precisei de mesa de bar lotada, os poucos que ali estão ... estão.
Eu prefiro dar todo meu amor aos poucos a dividir duvidas e afetos incertos com um mundo velho de gente.
Você está sofrendo, porque acredita nesse sentimento, e viu que a amizade que você tanto almeja não parece fazer parte do mundo dos “pás”.
Mas você me contou que passou pela mesma situação que eu!? Então não pode me recriminar....respondeu incerto.
-Em momento algum estou te recriminando, passei por isso....sofri muito. Mas você já me ouviu falando de alguma Silvana?
-Não! Mas você perdoou? O que você fez?Bateu nela.......e etc e tals.....
-Não...aliás, não cabe a mim o perdão, me afastei e recebi o conforto no colo de um amigo de verdade.
-Como eu faço para escolher meus amigos? Me ensina!!!! Nunca vi tanto clamor em uma voz.
Olha vou ter que parafrasear meu amigo de fossa Vinícius de Moraes: Amigo não se escolhe, reconhece! E você saberá fazer isso. Assim como sem saber porquê me procurou, não foi pela minha idade ou experiência, foi porque sua alma sabe que aqui tem amizadae ou melhor amor!
-Isso foi um reconhecimento?
-Foi. Agora preciso desligar, não sei o que você deve fazer com realação ao seu amigo, mas quanto a você eu acho que deva chorar e tentar lavar a alma. As feridas cicatrizam, não se preocupe. Te amo.
-Calma, não desligue...pediu urgente.
-Manda...
-Você parece uma casa ou melhor um porto.
-Amor, você nunca ouviu falar que amigo é casa?!


Ainda restam as agruras causadas pela traição, uma bagunça danada que a surpresa desagradável deixa. Mas ele vai conseguir, acho que o nosso papo o fez entender que o que é nosso não precisa ser muito, precisa tocar a alma e ser verdadeiro, que não precisamos sair de casa porque é sexta-feira, precisamos sair porque queremos. E entre uma boate e pá, um bar e muita risada cúmplice a segunda opção alimenta a vida sem os pás que nem eles devem saber o que é!
Oswaldo Montenegro foi um mestre ao cantar em Estrelas:'.... doido corpo que se move é a solidão dos bares que a gente frequenta...”
Essa busca insessante por algo nos bares da vida e pá....só alimentam as urgências que nem sempre são nossas, são reflexos do que as pessoas, que não fazem parte, exigem da gente, isso tudo confundi muito e causa angustia.
Não quero fazer apologia à nada, só vou acatar algo que há 30 anos tem dado certo ( minhas amizades tem de 30 a 20 e poucos anos de tempo), o que é nosso vem ao nosso encontro e é reconhecido pela alma e vísceras, e nem precisa ser medium, sensitiva ou coisa do gênero...só precisa ser gente.
Meu sobrinho, coêncidentemente, acabou de chegar aqui, com uma garrafa de vinho e um cd: Os melhores de Vinícius de Moraes.
Quer coisa mais viva? E pá.....rsrsrsrsr

Bal2

Nenhum comentário: