Follow by Email

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Preguiça de NATAL



Sei que a maioria das pessoas, assim acredito, amam Natal e tudo que vem junto até o dia 31/12.
Fui ao shopping trocar uma blusa e me estarreci com uma multidão olhando as renas, abraçando um papai Noel fundo e as luzes...ah as luzes!!!!! Pareciam estar vendo um milagre.
Eu com cara de perplexidade.
Não sou normal.
Não sei se a culpa é da minha família, que sempre entregou o ovo de páscoa com uma semana de antecedência e nunca brincou comigo a coisa de meias na janela no dia 24/12....
Sem falar que a ceia na minha casa, NUNCA aconteceu as 00hs....geralmente já tinhamos nos empaturrado de guloseimas com gosto de uva passa e afins, e estávamos dormindo.
Parece anticristão...mas não é de forma alguma. Acredito que a única coisa que sempre tivemos é a fé.
Então, por isso eu sofro da falta de sentimento Natalino.( vou culpar quem eu quiser).
Não vejo graça, confesso que sinto uma agonia que tem sabor de obrigação.
Mas de todos os sentimentos possíveis e entre os sete pecados capitais, o mais forte e perene é a preguiça.
Ultimamente a preguiça anda reinado....acordo e durmo com preguiça.
Cansada! São 365 dias trabalhando, correndo, analisando, juntando, esparramando, esperando, encontrando, perdendo, indignando e por aí vai.
Aí chega o finalzinho da fatia dos 365 dias, só quero curtir preguiça, é automático, quando vejo já estou mais lenta, pesada e amando minha cama como nunca amei.
Não deixo de pensar e cumprir as obrigações, só que a impressão que tenho é que estou com o dedinho pronto para apertar forte o pause.
Que isso não soe da pior forma possível, mas a vontade é comprar um livro tão bom quanto Cem anos de Solidão ou Eva Luna, entrar para meu casulo e esperar a virada sem minha presença.
Estarei abastecendo a alma, passando a mão na minha cabeça, cuidando das feridas e enaltecendo as vitórias. Muito mais justo que abraçar aquela Tia que não vejo há 10 anos, rir do amigo oculto que de oculto não tem nada (atualmente as famílias são cada vez menores), esperar as 00hs para abrir o presente que eu sei, muito bem, o que é. Pela falta de tempo todo o mundo já fala o que quer ganhar para facilitar a vida do outro, e para finalizar aquele matança de fome tão exacerbada que a impressão que tenho é que é o único dia que se come na vida.
Olha, me recuso...vou porque tem que ir....confesso que só o corpo está presente, porque a alma/essência acredita que Jesus Cristo nasce todos os dias em nossos corações, presente se dá sem data marcada e tia que não encontramos há 10 anos é parente que vai constar na árvore genealógica, só.
Para finalizar meu nome é preguiça e meu pedido para Papai Noel é:
Me deixa aqui com meus eus, morta de preguiça!
Que assim seja....FELIZ TODOS OS DIAS PARA NÓS!!!
BAL 2

About me


Sou de poucos, porém o suficiente. Os que são meus são tão caros quanto o ar que respiro. Capaz de colocar toda minha expectativa em um “simples” sorriso cúmplice ou um colo aconchegante.

Sou quase uma novela mexicana, tamanho o drama (virginiana) que faço, isso vem de uma intensidade que a vida me ensinou, mas quando o drama se faz necessário, desapareço, meu silêncio e sumiço é sinal de que algo está doendo. Sumo mesmo, acho meu sorriso lindo, para deixar á mostra meus grandes olhos inchados.

Se tem uma coisa que levo a sério é o humor, adoro rir de doer, acho sagrado!Um sorriso faz tudo tolerável, a vida tem que ser engraçada caso contrário pesa e acho que de peso já basta a rotina, pois então não me venha com metodologias, dá para ser leve!Sou critica demais, não se preocupe, a pessoa que mais critico sou eu....morro de me acabar, mas não se engane eu sei quem sou. Por sinal, aprendi a me amar muito, chego a ser egoísta, confesso.

Adoro ficar sozinha em casa, fazer almoço para mim e enquanto o fogo brinca com a comida , escrevo ou sonho....*Pelo amor de DEUS, não venha com o papo de que isso parece triste. Respeito sua opinião, mas eu adoro esse programa, pois quando quero, sei ser multidão, portanto não me julgue, se queres me irritar faça isso. Indignação para mim é ver alguém sentar no rabo e julgar a vida dos outros....cada um cada um com seu cada um. Já dizia meu Pai, que aliás em meu dicionário é o nome da saudade.Se não pedi conselho, não dê...Cuide da sua vida!

Odeio salto alto, amo pé no chão.

Sou desorientada pelos meus irmãos.

Louca de pedra por minha MÃE, tão amiga. Divirto quando ela solta com toda suavidade do mundo:- Ah não, minha filha, eu te avisei!rs

Não sei sublimar, todas as vezes que tento....hum, não dá certo, pois solto o DESABAFO na pior hora. Ressaca moral na certa....ai!

Amo mãos, talvez por ser reikiana e acreditar e saber de seus poderes.

Curiosidade é meu monstro. Vasculho igual detetive, e descubro.

Não consigo entender a mentira, fala a verdade e ganhará meu respeito, aliás do mundo. Minta e não que seja desprezo, mas piedade. Se quer, quer, isso é vital. Por que mentir!? Respira fundo e solta. Vai aliviar, acredite!

Meus amigos são minha casa.

Odeio meu aniversário, mas amo as festas surpresas.

Adoro receber carta, a tecnologia me tirou esse prazer.

Falo muito, nem sempre tenho razão, mas falo alto e rápido.

Amo água, adoro nadar, sou igual criança em uma piscina,mar ou rio.

Minhas olheiras? Como dizia a música, só escondo para colher amor.

Passei da fase de ir à busca, ando acreditando no acaso...Esse me fascina.

Acredito no amor/paixão como Pollyana e vou morrer assim, sou uma romântica muito prática, se é que isso existe.

Demoro a sair de algo, porém quando isso acontece é definitivo.Amo cozinhar, nem sempre acerto, mas continuo.

Tenho uma canina com nome de flor, que de tão minha,se parece comigo ( Margarida).

Sou doidinha por figuras de linguagem.

Música? Tem que me remeter algo....confesso que parei lá nos anos 80 e 90....

Dormir, para mim, é uma arte.

Tenho “medo” da minha intuição.

Gosto de verde e não de azul.

Amo flores e borboletas.

Unhas sempre vermelhas.

Gente para mim tem que ter cheiro, pele e sorrisos. Não ofereça menos que isso ou vou achar que é uma mensagem divina de Bill Gates ou Chico Xavier.

Adoro aprender, com meus alunos, se eles soubesses não pagariam mensalidade.Sou a ansiedade personificada.

Amo sorrisos.

Tenho um blog com codinome.

Acalento,diariamente, a saudade.

Adoro noites chuvosas.

Acho uma coisa de louco homem de óculos ( Freud explica).

Tenho pavor de gente ociosa.

Tenho bipolaridade musical.

Reverencio minha alma.

Bato palmas para o tempo.

Tenho uma fé em JesusCristo, inabalável.

Aturo meus defeitos.

Alimento meus vícios...

Vivo errando e acertando.

Sabe de uma coisa?

Sou igualzinha a você, as diferenças são os gostos e a conduta.
Bal 2

domingo, 25 de outubro de 2009

e pá eu te reconheci....



-Você quase não sai de casa!!!!
-Você só tem esses amigos? Credo.
-Você está sentindo alguma coisa?....é...será depressão?! Conheço um remédio que faz milagres!


Esses comentários são uma constante em minha vida. No início respondia uma a uma. Hoje só dou uma risada.
O pior para mim é o tal do: HOJE É Sexta-feira!!!!
Para quem trabalha a semana toda como escravo em dia de festa, se tem uma coisa que sei, muito bem, é que é sexta-feira. Acho até que assim como eu, todos os trabalhadores brasileiros trabalham para esperar a sexta feira chegar e para o Fantástico não começar.
Tenho um sobrinho de 18 anos, na verdade falo sobrinho por que na árvore genealógica vai constar para todas as gerações da minha família. Porque na verdade ele esta entre os meus pouquíssimos amigos, tanto que nunca fui chamada de titia ( graças a DEUS), quem nos vê conversando poderia interpretar como a véia louca tentado seduzir intelectualmente a criança.
Ele é um dos portadores dessas perguntas, nunca entendeu o porquê de tanta quietute em uma pessoa tão ativa como eu.
Semana passada, ele ligou e muito antes do alô, disparou:
-Meu melhor amigo ficou com minha garota.
A voz dele denunciava uma dor latente, um pedido de ajuda urgente, um remédio qualquer para aliviar aqueles sintomas que ninguém no mundo sabe explicar,exatamente, onde dói.
Já tinha passado por isso com a mesma idade dele, fui capaz de sentir até o gosto da angustia.
Ouvi com atenção toda a história, mas a pergunta já estava elaborada.
- Seu o quê? Perguntei ansiosa pela resposta.


-Melhor amigo! Respondeu com uma certeza tão incerta quanto se amanhã vai chover.

-Melhor amigo o quê? Que dia, que horas, que um melhor amigo, aliás nem precisa ser o melhor, que uma amigo dilacera uma alma? Respondi aos berros, a indignação exalava pelos poros.


-Mas nos dias de hoje é assim, você vai para boate e pá (esse pá sempre me vez pensar muito, o que será na integra esse pá?) e quanto pá você esta pegando a mina. Respondeu cheio de si.


Se nos dias de hoje é assim, se no meio de tantos "pás" um trai o outro sem a menor cerimônia, porque estaria sofrendo? Tudo indicava que já tinha lido o manual de instrução, já estava avisado...portanto não era traição (ao menos no mundo deles), mas sim uma reação consequente.
Pensei em falar, mas vi em sua voz uma pessoa que tem pavor das regras sociais e que sua dor era de quem acreditava em sentimentos, principalmente em amizade e estava sentindo o fel que era a traição.
Respirei fundo e descorri:
-Meu querido, para mim ,se tem algo que é sagrado é o tal sentimento, é ele que nos nutre. Somos ávidos por sensações boas, é claro. E a amizade é algo tão grande e tão repleto destes sentimentos que chega a nos entupir dessas sensações. Isso exige alma, tempo, zelo e afeto muito afeto.
Você sempre questionou o meu número de amigos, concordo que minha mesa de bar não ultrapassará duas mesas com quatro cadeiras, mas vou te perguntar uma coisa: tem coisa mais aconchegante que estár cercada de pessoas que conhecem e respeitam até seu piscar?
Amigo de verdade não precisa falar todo dia, toda hora. Um dos meus amigos, me liga todo santo dia de manhã para conversar miolo de pote, em compensação tenho outros que ficamos meses sem nos ver ou falar e quanto isso acontece é tão natural como se morássemos juntos. Não existe uma regra de tempo, não existe exigências....existe amor, respeito e cumplicidade.
Entenda, quando as coisas são verdadeiras elas fluem naturalmente!
Nunca precisei de mesa de bar lotada, os poucos que ali estão ... estão.
Eu prefiro dar todo meu amor aos poucos a dividir duvidas e afetos incertos com um mundo velho de gente.
Você está sofrendo, porque acredita nesse sentimento, e viu que a amizade que você tanto almeja não parece fazer parte do mundo dos “pás”.
Mas você me contou que passou pela mesma situação que eu!? Então não pode me recriminar....respondeu incerto.
-Em momento algum estou te recriminando, passei por isso....sofri muito. Mas você já me ouviu falando de alguma Silvana?
-Não! Mas você perdoou? O que você fez?Bateu nela.......e etc e tals.....
-Não...aliás, não cabe a mim o perdão, me afastei e recebi o conforto no colo de um amigo de verdade.
-Como eu faço para escolher meus amigos? Me ensina!!!! Nunca vi tanto clamor em uma voz.
Olha vou ter que parafrasear meu amigo de fossa Vinícius de Moraes: Amigo não se escolhe, reconhece! E você saberá fazer isso. Assim como sem saber porquê me procurou, não foi pela minha idade ou experiência, foi porque sua alma sabe que aqui tem amizadae ou melhor amor!
-Isso foi um reconhecimento?
-Foi. Agora preciso desligar, não sei o que você deve fazer com realação ao seu amigo, mas quanto a você eu acho que deva chorar e tentar lavar a alma. As feridas cicatrizam, não se preocupe. Te amo.
-Calma, não desligue...pediu urgente.
-Manda...
-Você parece uma casa ou melhor um porto.
-Amor, você nunca ouviu falar que amigo é casa?!


Ainda restam as agruras causadas pela traição, uma bagunça danada que a surpresa desagradável deixa. Mas ele vai conseguir, acho que o nosso papo o fez entender que o que é nosso não precisa ser muito, precisa tocar a alma e ser verdadeiro, que não precisamos sair de casa porque é sexta-feira, precisamos sair porque queremos. E entre uma boate e pá, um bar e muita risada cúmplice a segunda opção alimenta a vida sem os pás que nem eles devem saber o que é!
Oswaldo Montenegro foi um mestre ao cantar em Estrelas:'.... doido corpo que se move é a solidão dos bares que a gente frequenta...”
Essa busca insessante por algo nos bares da vida e pá....só alimentam as urgências que nem sempre são nossas, são reflexos do que as pessoas, que não fazem parte, exigem da gente, isso tudo confundi muito e causa angustia.
Não quero fazer apologia à nada, só vou acatar algo que há 30 anos tem dado certo ( minhas amizades tem de 30 a 20 e poucos anos de tempo), o que é nosso vem ao nosso encontro e é reconhecido pela alma e vísceras, e nem precisa ser medium, sensitiva ou coisa do gênero...só precisa ser gente.
Meu sobrinho, coêncidentemente, acabou de chegar aqui, com uma garrafa de vinho e um cd: Os melhores de Vinícius de Moraes.
Quer coisa mais viva? E pá.....rsrsrsrsr

Bal2

sábado, 24 de outubro de 2009

REAL X IMAGINÁRIO



Todo mundo que não sabe como começar um texto, cai na mesmice do: Nos dias de hoje....
Ah! Nos dias de hoje é tudo tão rápido, que quando o ponto se fizer presente você já vai estar no pretérito.
Nos dias de hoje.....rs
Tem tanta coisa acontecendo na minha cabeça ( importante ressaltar isso) que tem horas que duvido até de minha existência. Na verdade não sei se isso se deve a rotação 320/h da minha imaginação, ou a tal coisa: Vida real e vida virtual!
Virei um CTRL + qualquer coisa ( é único comando que conheço. Porque esta no meio das teclas).
Vamos por partes e obviamente do começo.
Ouvi:
Entra no par perfeito. ... que é lá que você vai encontrar o marido dos seus sonhos, foi assim comigo....hoje sou casada e feliz com meu velhinho!!!!!!
Não contestei, acatei.
Fiz um perfil bacana, coloquei a foto que menos denunciasse o quanto o tempo,o sol, a idade, o....não são legais
e comecei minha busca.
Virginiana louca que sou, fui criteriosamente no link busca.
O que rendeu muitas sessões frustrada ....primeiro comemos com os olhos!
E muitos e-mails do tipo:
oi.... te achei!
( achou o que? ),
Princesa do meu reinado ( nem o Paulo Ricardo ousa dizer princesa mais)... e por aí vai.
Achei uma foto bonita, confesso que me encantei mais pelo mar ao fundo que pelo personagem da foto...mandei um lacônico oi....( preciso fazer um curso: Cantadas para sites de relacionamento, módulo do I ao XX).
Resposta rápida e adição no Msn.
Foi tão rápido que já fantasiei que era uma mensagem divina do além....do tipo ele estava me esperando!!!!!
O papo fluiu sem aquela coisa de onde você tecla?...Na minha concepção essa pergunta é tão imbecil quanto perguntar para uma grávida de 8 meses se ela está grávida.
Arrastaram-se dias de muita prosa gostosa no MSN, depois telefone....( isso já me fez comprar naftalina para as rendas do vestido de noiva). Ele existia e tinha a voz da minha alma gêmea.
O estranho disso tudo é como nos desnudamos quando não estamos sendo vistos, o quanto o imaginário se torna real com um simples enter, a coisa cria vida e cumplicidade. Sabia até a hora que meu “amor” entraria, cada letra tinha vida, cada depoimento nos sites de relacionamento só comprovaram o quanto estamos sedentos de atenção.
Sexta-feira vamos nos ver!
Eu só não fiz despacho para afastar os maus agouros dos amores do passado...o resto fiz tudo. Mas o telefone não tocou e a noite de unhas feitas e mechas retocadas, acabou com um coração aflito enrolado no edredon
Aos 35 anos confesso que não sei a lição de cor, mas sei algumas coisas...depois do choramingo do coração, lembrei que essa realidade não era minha. Voltei a colocar os pés no chão e uma lacuna se abriu.
Continuamos as conversas, mas desta vez as pontuações se faziam totalmente inerentes ao contexto real da história. Mas como sou romântica e tenho ainda a estranha mania de acreditar no amor, nutria esperanças. Meu coração, avisava para dormir logo e parar de imaginar a compra de móveis para casa nova. Mas não obedeci, demorava horas para dormir....e nos sonhos lá estava eu naquele lugar que sempre quis estar.
Nunca dava certo o encontro...o cara era tão bacana que as desculpas me convenciam e acalentavam a alma ou o mouse. Já não sabia mais de quem era urgência!
Um dia comentei:
- Ainda vamos nos esbarrar na fila do banco.
Boca maldita essa a minha, só errei o lugar.
Casualmente nos topamos em um barzinho...eu e um amigo, ele e a inha( odeio o diminutivo, isso menospreza tudo) .... nos abraçamos,agradecemos ao encontro casual ( qual outra alternativa?), e cada um sentou com seu respectivo sufixo, eu com meu amigão e ele com a amiguinha ( foi a explicação dada).
Ali acabava uma história...o mito tão aconchegante tinha se transformado em uma realidade esgoelante.
Se eu sofri?
Só um pouquito...rs.
Só jurei virar São Tomé.
O lado positivo ( tenho isso) é que há muito não sentia o pulsar descompassado do coração, ele me fez sentir isso....ou melhor a fantasia. Por muito tive medo de estar morta, sentimentalmente falando.
No ínterim dessa coisa toda um ex namorado me procurava como doido, um ex tão divertido quanto um livro de metodologia cientifica...tipo eu ria da minha piada e ele da dele, mesma coisa de sair sozinho.
URGÊNCIA DE AFETO MODE ON.ON.ON...ON.
Tentei....mais uma vez...alguém falou que esse era o certo....
ODEIO O OSHO E O BUSCAGLIA, deste já.
Há 3 dias sai do hospital, internada por causas renais ( eu bebo 5 ou mais litros de água), já que o rim é o “cara” que filtra tudo, acho que o recado era que estava faltando coerência para entender o que era homogêneo e o que era heterogêneo.
( Precisa-se de 1 professor de química....URGENTEEE)
No filtrar dos ovos ou melhor no frigir dos ovos aprendi que nada, nem real nem virtual, acontece sem o nosso consentimento e que nessa baderna toda tenho outras urgências e que amor real acima de tudo tem cheiro.
Ps: Em nenhum momento culpo o “colega” virtual, relendo nossas conversas que cega eu não conseguia interpretar, ( ctrlc v + ctrlc C), achei isso:
-vc tem um grande problema....além de ter o sorriso mais bonito que já vi, é rápida, inteligente e indepentende...isso assusta.
Isso eu não entendi, o resto já passei a régua.
Mas cada um com seu ão ou inho(a).
Bal 2
  • Música : Carvão - Ana Carolina

domingo, 17 de maio de 2009

DIREITO? do consumidor....



Hoje acordei com o interfone, era o porteiro com voz de milhões de amigos, avisando que tinha chegada correspondência.( por que raios um porteiro ás 7hs da manhã é tão feliz?).
Fui de pijama buscar a bendita, por que eu tenho que obedecer o porteiro? ( aceito sugestões).
Entre propagandas, revista da semana..
Tcharã....:
a fatura do cartão do crédito!
Não quis abrir dentro do elevador, morro de medo de ficar presa ali, e sabia que minha reação poderia fazer com que todo o sistema elétrico do prédio entrasse em pane.
Entrei em casa, acendi um cigarro ( não tenho estômago a muito), um cafézinho e abri a fatura.... infeliz!!!!
Eu juro, eu juro por tudo, e todos.
Eu juro em todas as religiões que quando eu comprei o meu computador eu ouvi:
- São 20 parcelas sem juros !
SEM JUROS!!!!!
( Quando eu terminar de pagar as 20 parcelas, computador vai ser coisa da época da pedra).
Só que todo santo mês, vem um tal de JUROS rotativo!
A vendedora mercenaria vestida de papai Noel ( comprei meu computador no Natal. Cilada 1) poderia ter tido uma gota de amor no coração e gritado:

-Olha eu preciso desta comissão mais do que eu preciso de ar para viver! Sua compra de 20X sem juros é sem juros nu e crú, mas é com juros rotativo!

Mas não, o Papai Noel queria ganhar sua comissão natalina!

Agora meu computador está saindo mais caro que um carro. Aliás quando eu terminar de pagar essa p.... vai ter se transformado em um avião, só falta chegar o I.P.V.A.....Pois não, estamos aí, eu pago :/!
Vi no site dos pobres e oprimidos enganados pelas promoções relâmpagos que preciso de prova escrita para poder reclamar os meus direitos.
Ahhhh! Ficou fácil!
Vou sair peregrinando a cidade com uma placa:

Procura-se uma vendedora natalina que engana as pessoas em prol de sua comissão!!!!

Com muita sorte, mas o cúmulo da sorte se eu a encontrar peço para “colega” escrever um texto contando a história do computador mais caro do mundo com juros rotativo sob mensagens subliminares!?
Tenho outra alternativa, segundo o site dos pobres e etc e tal, ir para fila do procom....isso pode me custar 3 tardes e 3 noites. Não tenho paciência para esperar a unha secar...Valha-me, né?!
Na verdade, na verdade e muito na verdade, tenho uma única alternativa: Pagar!
Esse é o direito do consumidor!
E não se fala mais nisso!
Por falar, ou melhor por lamuriar isso, parei de escrever um pouco para comprar ingredientes para fazer uma feijoada....desisti, vai de arroz, feijão e bife de segunda mesmo.
Hoje entendo uma frase que meu PAI dizia de minuto em minuto: Não há dinheiro que chegue!
Faço estas as minhas palavras!
Beijos falidos e aceito contribuição para o pagamento do meu plano de saúde, aceito vale leite,vale gás...vale qualquer coisa.
Em resposta as postagens anteriores urgente mesmo só o $$$$ e a certeza de que temos que pagar.
E tenho dito!

Ps: o problema são as letras miúdas do contrato que nunca lemos...ôhlálálá
Bal2

sábado, 16 de maio de 2009

A força da Ausência


Se me perguntassem hj no que eu realmente acredito, eu diria: NA AUSÊNCIA.
Essa falta de “um não sei o quê” que habita os corações e as almas. Essa ausência do que está por vir, que nos impulsiona a dar o próximo passo e encher o coração de esperança.
A ausência da felicidade completa... A ausência do filho que não veio... A ausência do marido que não se encontrou...
A ausência do que não fui... A ausência da palavra que não foi dita... A ausência de quem partiu...
E nesse rio de ausências, se ausenta por vezes a sensatez. São as ausências premeditadas. Aquelas que criamos para nos boicotar. Nossas inimigas íntimas...
E quando o sensato se ausenta, leva com ele o equilíbrio. E sem o equilíbrio passamos a viver por força da matéria... É aquela coisa que Einstein disse: “Massa precipita-se pelo caminho de menor resistência!”... A vida passa a pender pelo mais fácil... Sem que as conseqüências de nossos atos sejam relevantes. Faz-se e pronto!
Sem dúvida alguma, alguns vão pensar: “Pelo menos se tentou fazer algo!” ... Mas e o preço?! A vida cobra, camarada!! E cobra caro!!
Dar uma de doidivanas pra fazer a vida parecer normal e manter a tradição, não é nada inteligente nem tampouco razoável.
E nesse surto de ausências, casa-se com amigo do amigo que não tem uma cova pra ser enterrado... Que não faz parte do seu contexto... Que deveria ser distração e tomou a proporção indevida apenas pelo pavor da solidão... Monta-se o cenário do casal feliz... E tira uma foto pra ver se sai na próxima propaganda de margarina. Engravida-se pra perpetuar a espécie, mas esquece-se que a prole é resultado dos dois genes...

GENTE!!! Ter filho é coisa séria!

Eu tenho ódio quando escuto alguém dizer: Eu preciso ter um filho!...
Ninguém precisa ter filho... Filho não é souvenir...
Não é o bibelô que vc compra na loja da esquina e coloca à mostra na estante de casa: “Olha!! Que coisa mais linda!!! Parece com quem?!” , e vc responde: “Não sei... Não conheço direito o pai!”

CARALHO!!!

Não é ter filho pq a mãe quer ser avó... Não é ter filho pq o irmão não pode ter... É ter filho pq tem certeza que está preparada pra cuidar! É ter filho pq tem uma vida estruturada, e essa estrutura foi feita pra receber uma criança e amá-la. É ter filho pq vc se programou pra isso... Pq vc encontrou um cara tão especial que vc quer ter uma criança com todas as características dele... E, meu Deus!!! Pra saber se esse cara é tão especial a ponto de querer ter um filho com ele é preciso convivência... É preciso tempo!!.. É preciso muito mais que 2,3 meses de namoro...

CARAMBA!!! Será que apagaram a lamparina do juízo de todo mundo e só eu fiquei com essa vela acesa na mão?!

Ah, se Deus me permitisse refazer minhas escolhas... Eu seria pior que a mocinha do “PS: Eu te amo!”... Encontraria um homem pela primeira vez e faria um questionário que dificilmente ele saberia responder:
_ Vc é homem?!
_ Vc trabalha?!
_ O que ser homem significa pra vc?!
_ Como vc acha que uma mulher deve ser tratada?!
_ Como vc irá reagir no dia em que eu te encher muito saco?!
_ Quanto vc acha que um homem deve participar nas despesas da casa?!
_ Como vc reagirá quando eu não quiser que a sua mãe dê palpite em nossa casa?!
_ Como vc se sentirá se eu ganhar mais que vc?!
_ Vc saberá respeitar o meu silêncio?! E o meu espaço?!
_Vc entenderá quando eu simplesmente disser que não quero sexo naquele dia ou vou ter que inventar uma dor de cabeça?!
_ Vc vai ter coragem de chegar em casa e contar que transou com aquela colega de trabalho gostosa?!
_ Vc concorda que amar não é pra sempre?!
_ Quando nos separarmos e o filho ficar comigo vc vai continuar sendo pai?!
_ Vai ser preciso que eu brigue na justiça pela pensão?!
_ Depois disso tudo conseguiremos continuar amigos?!

Certamente... Na hora “H” muitas outras perguntas surgiriam...
Mas Deus não dá essa chance...
Cavamos nosso destino com nossas unhas e as marcas de arranhões ficam na alma.
E de nada adianta falar, pois a experiência só lhe cabe e a mais ninguém...
Gostaria de ser otimista como minha amiga Bal2, mas ela sabe no fundo que a história que ela contou não dará certo...
Fazer o que?!
É a roda da vida girando louca e desgovernada...
A ausência de discernimento e a urgência de afeto são os carros chefes dos novos tempos.
E ficamos aqui a espiar mais uma história.
E ficamos aqui a aquecer o ombro pra mais uma lágrima... E o pior... A pele é permeável e nunca saímos incólumes de absorver essas dores.

Prece do dia: “Senhor, fazei com minha amiga abra os olhos antes do próximo passo e escute a única voz sensata que está ao seu lado. Amém!”

Beijos de luz!

Bal1

O Urgente é a calma



Soube a pouco que uma amiga de infância ficou noiva!
Ficou noiva do amigo do meu irmão.
Ficou noiva, com previsão para morarem juntos assim que acharem um fiador para o aluguel do suposto ninho de amor ( isso pode levar séculos).
Ficou noiva.....em menos de 2 meses de namorico.
Até aí tudo bem. O que tem de mais isso?


Vou começar essa postagem desta forma pois ela me da embasamento para falar de algo que vem povoando meus inúmeros momentos de reflexão.


A Urgência de afeto.


O corpo pede, a alma reclama e a sociedade julga e cobra. Pronto você acaba de entrar em um emaranhada de urgências, respire fundo porque a partir daí quase tudo será obedecido menos o seu lado racional.
Desta forma o que vier ... veio, e geralmente entre muitos desejos sexuais, vontade de ser amélia e uma insuportável necessidade de escancarar uma aliança na mão esquerda, nos faz embarcar em uma história nada romântica, apenas cheias de planos e silêncios.
Já fiz isso, casei, decorei o ninho de “amor” com detalhes tão nossos que quase não permitia visita de estranhos. “Era nosso!”
Não vou detalhar meu “casamento” que durou 8 meses, mas preciso falar como acabou.
Tenho a estranha mania de pensar tão em silêncio que nem eu mesma sou capaz de escutar, até que um dia a alma pediu atenção e percebi que: Eu não amava, que o porta retrato digno de uma biografia de amor era falso, quase feita no photoshop, que a visita estranha era eu.
Parei de sorrir e fui povoada por uma solidão tão intrínseca que chorava escondido no banheiro para que nada respingasse no meu ninho de amor inventado.
Sofria como uma insana, pois não sabia como deixar de obedecer a carência, o eminente, a cegueira!
Como eu ia deixar de ser casada da noite para o dia?
Quem ficaria com os quadros que pintei com temas românticos?
E a cama tão grande que compramos para dividir noites de rotinas ( uma hora a palavra urgência se transforma em rotina, como em um passe de mágica)?
Quem iria me aguentar?
E as alianças?
COMO EU SENTARIA NA FRENTE DAQUELE HOMEME E DIZER:- Preciso te deixar, por que nunca te amei, nunca foi você...foi tudo menos amor!!!!?
Enlouqueci de um tamanho tão grande, olhem isso, minha alegria era quando ele tinha trabalhos da faculdade pois eu os fazia e este era o único momento em que nem eu nem ele cobrávamos matrimonio.( deveria ter ido receber o diploma).
Era uma redenção!
Até que um dia o chorar era alto demais e passava pela porta inundando o que chamávamos de lar.
Pedi que sentasse na minha frente, ele já veio chorando...meus olhos não costumam mentir e com toda a dor do mundo falei:
Acabou, ou melhor nem começou. Vai embora!
Acabará de matar os sonhos dele e ressuscitar minha realidade.
Tirei minha aliança e passei a noite a chorar.
Foi a primeira vez na vida que percebi o quanto não sabemos ouvir o nosso coração.
Querer colo, um pé quentinho, uma noite acompanhada, um jantar a luz de vela...pode ser coisa feita sem contratos. Posso estar parecendo o ser mais frio do mundo, juro que não sou e por isso tive um profundo ódio de não ter usado o coração e alma essa hora...os cacos só conseguimos juntar 3 anos depois, quando conseguimos olhar um nos olhos do outro e dizer: - OBRIGADA!
( Hoje somos “amigos” com algumas rusgas é claro, mas temos um respeito lindo um pelo outro, confesso a culpa foi toda minha).
Agora minha amiga embarca na mesma história ou estória, seus olhos brilham a cada jogo de panela que vê.
Não só ela, vejo tanto caso parecido.
Tantos jogos de aparências por aí, enquanto o coração deixa de aparecer para não enterrar o que já está morto.
Não posso definir, nem muito menos julgar. Deveria aconselhar, pois até hoje tenho cicatrizes que insistem em me lembrar o ocorrido e o que me fez um bocado cética.
Mas não aconselharei, sou a favor dos riscos, passei a adolescência lendo Buscaglia, só peço para que não maltrate seja lá o que for.
Não raro vejo olhos piedosos dizendo:
Tadinha, 34 anos solteira e sem filhos!
Você não ama ninguém?!!!!!
Só esboço um sorriso amarelo, até porque eu acredito no amor e sonho com marido, filhos, cachorro, casa e etc e tal. Sonho muito e espero ansiosa cada segundo da minha vida.
Talvez por já estar escolada a ponto de saber a cartilha de cor, sei identificar o que é para já, o que é para logo e o que não é...acabo então deixando a intuição me governar, se eu entrar na mão errada tenho outro GPS bem confiável: MEU CORAÇÃO!
Quanto a minha amiga desejo sorte e humildemente desejo força!


Enquanto isso passo minhas noites me divertindo sem urgências ou assistindo Vicky Cristina Barcelona (vale a pena,trata com maestria essa tal urgência de afeto) como fiz ontem...se a cama está “vazia” ao menos está cheia de "certezas".
Tem uma lição que aprendi: amor é amor! Não tem urgência, tem vida própria.
O urgente é a calma!
Não se apresse, o que é seu, vem a seu encontro.... e...
Com calma.
Bal 2