Follow by Email

terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Ano Novo




Sei que fiquei de voltar no dia seguinte, mas essa coisa de final de Ano é tão corrido quanto um dia exaustivo de trabalho. Nunca entendi muito bem, mas já perceberam o quanto as pesssoas aceleram no final do ano? Parece que todo mundo mudou sua rotação, a impressão que tenho é que estão todos querendo acabar logo esse ano, cumprir depressa mais esse 365 dias e ver o que vai dar os outros que depois de uma contagem regressiva virão.
Renova-se a esperança.
Não por acaso todas as pessoas já tem uma promessa para ser feita no primeiro dia do ano. Na maioria das vezes como regime de toda santa segunda-feira, às vezes são engavetados, outras cumpridos, mas sempre tem algo para ser escrito no ano novo, NOVO...esse aqui já esta velho, gasto e deu o que tinha que dar, então já que é para começar que seja no que está virgem, puro, sem escritos na agenda...
Atribuo isso a necessidade que temos de renascer, de tentar de novo, de acreditar que as coisas podem ser diferente.
Não sou diferente, mentiria muito se falasse o contrário. Faço até retrospectiva do ano que acabou, como se os fogos de artifícios apagassem todos os acontecimentos, e me deixassem sem as amarras, alegrias e sensações que me acompanham e vão acompanhar pelos novos 365 dias que vou ter pela frente. Não vou chamar isso de ignorância, embora seja, vou chamar fé. Fé de que sempre podemos fazer diferente, tratar feridas, perdoar, se redimir, não cometer os mesmíssimos erros, arriscar mais, amar mais, ...em resumo fazer uma reciclagem.rsrsrsr.
Agora não faço mais lista de metas, do tipo esse ano vou comprar um carro, vou casar e ter filhos, vou viajar 3 vezes e assim por diante. Fiz isso o ano passado, e quebrei a cara, até por que no dia 04 de janeiro eu já tinha esquecido boa parte das metas, pois a vida já estava tomando outro rumo,
os sonhos permanecem, mas vida trata de fazer com que eles aconteçam na sua hora certa, por isso não se frustre se ainda não foi esse ano, só não era hora, meu caro!
Esse ano foi o ano da realização profissional, até me emociono ao falar ou escrever, foi muito além do que o que escrevi na minha listinha extensa de realizações para o ano de 2007. Não teve um só dia que um sonho não pipocava na minha frente, virou rotina.
Confesso a minha ingratidão, perguntei muitas vezes: E o resto????
Calma, agradeci muito também.
Com a “calmaria” das férias foi que percebi que eu não tinha feito nada para achar meu grande amor, por exemplo. Foquei minha vida para realização profissional, e assim segui. Não olhei para lados diferentes, e as vezes que tentei fazê-lo me inquietava e voltava rapidinho para o olhar reto.
Dá a impressão que não sei fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo, tudo bem minha coordenação motora é péssima, mas nesse caso não foi. Era o primeiro ano da minha Escola, ela exigia cuidados de recém nascido, cuidei com todo esmero desde mundo, agora ela já sabe caminhar, mas sempre como olhar atento da Mãe.
A mãe chegou cansada ao final ... Mas do que depressa percebeu que esse olhar não poderia ser desviado, e passou a cuidar dela com todo o carinho exigido.
Posso dizer que estou quase inteira de novo, mas ainda faltam 7 dias para o ano novo, até lá estarei novinha em folha.
Para começar a escrever mas um ano de minha vida!
Se eu pudesse dar um conselho para o ano que está nascendo eu daria, mas não posso e nem quero. O que eu quero?
Quero VIDA para mim, para você e para nós. Agora para que lado a vida vai? Eu não sei, até por que o belo da vida é a surpresa.
Beijos quase renovados.

Bal 2


segunda-feira, 17 de dezembro de 2007


Estou começando a caminhar para um lugar que nunca deveria ter saído.

Descobri a tempo. E hoje voltei para o mundo da espiritualidade que tanto amo e preciso.

Essa é uma história linda e muito importatnte para mim, que quero muito compartilhar com vocês.

Amanhã farei isso, hoje tenho tarefa de casa.

Nada mais justo que Namastê.

Bal 2

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

EU QUERO FÉRIAAAAAAAAAAAAAAAAS






Já ouvimos muito o tal do “O Corpo quer a alma entende”, no meu caso o corpo está exigindo e a alma já desistiu de entender por que não escuto o que sua morada está berrando.

Não estou falando de sexo. Isso aí é outro departamento que em conseqüência do que esta me acontecendo agora, esse departamento está fechado para balanço, fiscalização com portas trancadas e lacradas.
Mas meu corpo urge por Férias. Vem dando sinais, tipo: dormir, ou melhor, entrar em coma na frente da TV no melhor do programa e esquecer os telefones básicos como o da mãe.
Os que me conhecem sabem que minha memória não é algo muito confiável, insiste em me abandonar em momentos importantes sempre me deixando com a cara de cachorro que caiu da mudança.
Mas agora está muito pior.
E como eu sei disso, eu nem discuto... Acabo concordando, pois não sei até onde é verdade. Claro que isso só acontece com as coisas mesmo esquecidas que me são justas. Então nem tente usar minha amnésia contra mim, sou lerda não burra!
Mas hoje o dia foi impar.
Já acordei exausta...volto a repetir, voltei do coma, pois eu não durmo, apago.
Quando o despertador tocou, vi que estavam 30 minutos mais cedo que os outros dias, antes que de joga-lo longe, lembrei que precisava lavar o cabelo. A reação foi impulsiva, apertei soneca e sublimei o cabelo.
Dei um jeito qualquer nos cabelos, coloquei uma roupa qualquer também, acendi um cigarro e no primeiro gole do café lembrei que tinha que passar ao banco antes de ir para escola, a conta do celular está atrasado por demais.
Não tive coragem de ir á pé como de costume, chamei um táxi.
O banco lotado, e eu com o corpo pesado...mas era o jeito, foi naquela fila kilométrica que decidi ligar o piloto automático.
Não sou de fazer isso não, mas pela primeira vez na vida tive uma vontade quase colossal de berrar: CANSEI, CHEGAAAAAAAAAAAAAA, PARA QUE VOU DESCER, NÃO QUERO, NÃO VOU, PARAAAAAAAAAAAAAAAAAA!
Morrer na praia não é a minha praia, mas confesso estar arrastando e o peso da areia entre os dedos está me estressando.
O rapaz do caixa de chamou:
- Pois não!
-Espera aí moço, deixa eu pegar a fatura do meu celular.
- Moço esqueci a fatura, se eu falar o número eu pago aqui?
- Não...próximooooooo!
Vinte minutos numa fila em vão? Puta que pariu, eu peguei a fatura antes de sair de casa, por que será que não coloquei na bolsa, bicha burra!!!
Fui no caminho tentando lembrar onde tinha enfiado a fatura que deveria morar na minha bolsa.
Cheguei a escola e minha irmã já me recebeu com o seguinte bom dia:
- Cansei!
Tive vontade de propor uma fuga, fechar tudo ...fazer algo a lá Thelma e Louise.
Mas o horário de aulas encima de minha mesa só me deixou responder:
- Eu também!
Não consigo lembrar de uma frase conexa de nós duas, parecia um eterno papo de surdo e mudo.
Meu professor de história ligou avisando que não iria, pensei em dizer inferno, mas não disse deveria ter dito e assumi a aula.
No meio da aula ao invés de falar Império falei em alto e bom som: INFERNO!
Meu aluninho ( 12 anos) caiu na gargalhada, minha irmã também e eu não conseguia parar de gargalhar, ria alto quase morri de falta de ar. Tive que parar a aula por um tempo.
Nunca entendi, mas quando estou muito nervosa ou cansada tenho a estranha mania de cair no riso. O certo não seria chorar?
Acabou a aula fui lá para fora fumar 1 cigarro, precisava fugir de todas aquelas pessoas, por um instante que fosse precisava sair dali.
Minha irmã foi junto., foi sessão Thelma e Louise mais curta e ínfima que já vi na vida.
Da nada minha irmã grita:
- Olha lá a Bal 1!
Amiga e leitores, parecia muito. Só duvidei por causa do macacão de lycra... Mas estou numa fase que não duvido de mais nada nessa vida, então pq. minha amiga não poderia ter tido um surto de ser a nova loira do Tcham por um dia?
Por isso disparei a gritar: - AMIGAAAAAAAAAAAAAAAAA!
E minha irmã junto: - BAL1111111111111111111111111111!
Na verdade esgoelávamos.
A moça do outro lado da rua olhou com pavor e disse: - Vocês estão me confundindo!
Realmente estávamos, mas saímos como duas velhinhas resmungando:
- Nossa é a cara!

Será que o cansaço está tirando-me a visão, também? Ui.
Voltamos para escola e tinha uma família gigante nos esperando.
Como conheço minha irmã assim como me conheço, sei que pensou o mesmo que eu :
- Que mutirão é esse?
Era a família de uma aluninha que foi lá desejar FELIZ NATAL!
Feliz Natal!? Gente foi aí que me dei conta que estamos à duas semanas da data, eu não estava lembrando, nem todas as propagandas televisivas me fizeram atinar o fato de que o ano acabou e que as festas estão começando.
Não comprei presentes, não enfeitei a casa e muito menos pensei em ceia.
Poxa...nem vi o tempo passar, acho que nem me vi passar... e não deixei ninguém ver ( pensei muito nisso ontem antes de apagar).
Se acho isso ruim?
Um pouco, me deixei um pouco de lado, e isso chateia. Pois ao me deixar de lado, deixo muita coisa, muita coisa mesmo. Pareço insensível, entende?

Não me arrependo, a lição eu aprendi e acredito que as coisas eram para serem assim...bem acho!

Proponho a desacelerar ou melhor, preciso!
Quinta-feira que vem estou de férias.

A primeira coisa que vou fazer é ouvir o barulho da minha respiração, depois eu não sei, não vou me dar o trabalho de pensar.
Ah! A fatura do celular estava na cozinha....PUTZ!

BEIJOS EXAUSTOS.....ZZZZZZ
Bal 2

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

REALIDADE PURA




"Bosta de carência básica infantil, que nos torna para sempre patéticos, jamais capazes de vencer essa necessidade, sozinhos, de alcançar o amor. O amor, o amor, o amor. Vá para a puta que o pariu o amor.


Todo esse imperativo de amar é puro masoquismo. De ser amado, mero sadismo.


"Queremos viver de novo sob a égide de um pouco de paixão, só isso. Então nos metemos a ir atrás de casinhos inconseqüentes para nos sentirmos homens e mulheres de novo, no sentido mais básico do termo.

Contudo, não raro o que eram pra ser casinhos inconseqüentes se transformam em paixões sérias, devastadoras.

Não há como se controlar isso, manter nossos instintos afetivos sob rédea curta. Depois de umas poucas doses de traição, estamos viciados na coisa. E lá ficamos nós, fissuradíssimos, olhando a caixa postal do celular de cinco em cinco minutos pra ver se alguém deixou recado. E ninguém deixou. E não só ninguém deixou, como a gravação que diz que não há recado parece ir ficando, a cada vez que ligamos, mais e mais irônica. É possível que, na próxima vez em que a gente ligue, acabe ouvindo algum troço do tipo, "querida , ele não vai te ligar, esqueça".


Fernanda Young.




Falou e disse!


(Não estou esperando nada...que fique dito! é isso aí.rsrsrsr)




Bal 2


quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Passadinha


Vou deixar de lado minha vontade de fumar para escrever aqui.
Hoje estou Feliz! Aliás ultimamente ando assim ... e na maior correria!!!
Não tenho um motivo específico, tenho vários motivos.
Hoje fizemos o balanço financeiro da escola, confesso que por medo estava afastada desde departamento...na minha cabeça a escola estaria no vermelho sangue vivo!
Hoje enfrentei o medo e ...para a felicidade total da nação ( a minha e da minha irmã) saldo P O S I T I VO, com direito a presente de Natal.
As pessoas que me são caras...pelo menos as que estão a meu alcance e mantenho contato (coisa de 1 X na semana) estão bem...adoro ouvir vozes leves ao telefone.
BaL 1 que anda sumiiiiiida, nos falamos na terça...preciso ligar lá para ouvir se tua voz está leve.
Consegui emagrecer os 2kg, nem precisei de tanto esforço...só foi preciso menstruar.
No quesito amor..nada a declarar, só o da “Garelli” que cada vez prova mais ser Brasileiro e mesmo eu não atendendo nenhuma de suas 200 ligações diárias...não desiste nunca!
B.H.L na mesma...com longos papos pelo Msn...no more.
Estou chegando em casa tão cansada, que são raras as vezes que consigo não derramar o corpo no sofá e por ali ficar, ando desligando até o telefone, para não ter o trabalho de atender. Cansaço Plus!!!
Mas estou quase de férias...e prometo escrever mais, outros assuntos...enfim decorar a casa.
Bal 2

Ps:
AMIGA,

APAREÇAAAA!