Follow by Email

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

EU QUERO FÉRIAAAAAAAAAAAAAAAAS






Já ouvimos muito o tal do “O Corpo quer a alma entende”, no meu caso o corpo está exigindo e a alma já desistiu de entender por que não escuto o que sua morada está berrando.

Não estou falando de sexo. Isso aí é outro departamento que em conseqüência do que esta me acontecendo agora, esse departamento está fechado para balanço, fiscalização com portas trancadas e lacradas.
Mas meu corpo urge por Férias. Vem dando sinais, tipo: dormir, ou melhor, entrar em coma na frente da TV no melhor do programa e esquecer os telefones básicos como o da mãe.
Os que me conhecem sabem que minha memória não é algo muito confiável, insiste em me abandonar em momentos importantes sempre me deixando com a cara de cachorro que caiu da mudança.
Mas agora está muito pior.
E como eu sei disso, eu nem discuto... Acabo concordando, pois não sei até onde é verdade. Claro que isso só acontece com as coisas mesmo esquecidas que me são justas. Então nem tente usar minha amnésia contra mim, sou lerda não burra!
Mas hoje o dia foi impar.
Já acordei exausta...volto a repetir, voltei do coma, pois eu não durmo, apago.
Quando o despertador tocou, vi que estavam 30 minutos mais cedo que os outros dias, antes que de joga-lo longe, lembrei que precisava lavar o cabelo. A reação foi impulsiva, apertei soneca e sublimei o cabelo.
Dei um jeito qualquer nos cabelos, coloquei uma roupa qualquer também, acendi um cigarro e no primeiro gole do café lembrei que tinha que passar ao banco antes de ir para escola, a conta do celular está atrasado por demais.
Não tive coragem de ir á pé como de costume, chamei um táxi.
O banco lotado, e eu com o corpo pesado...mas era o jeito, foi naquela fila kilométrica que decidi ligar o piloto automático.
Não sou de fazer isso não, mas pela primeira vez na vida tive uma vontade quase colossal de berrar: CANSEI, CHEGAAAAAAAAAAAAAA, PARA QUE VOU DESCER, NÃO QUERO, NÃO VOU, PARAAAAAAAAAAAAAAAAAA!
Morrer na praia não é a minha praia, mas confesso estar arrastando e o peso da areia entre os dedos está me estressando.
O rapaz do caixa de chamou:
- Pois não!
-Espera aí moço, deixa eu pegar a fatura do meu celular.
- Moço esqueci a fatura, se eu falar o número eu pago aqui?
- Não...próximooooooo!
Vinte minutos numa fila em vão? Puta que pariu, eu peguei a fatura antes de sair de casa, por que será que não coloquei na bolsa, bicha burra!!!
Fui no caminho tentando lembrar onde tinha enfiado a fatura que deveria morar na minha bolsa.
Cheguei a escola e minha irmã já me recebeu com o seguinte bom dia:
- Cansei!
Tive vontade de propor uma fuga, fechar tudo ...fazer algo a lá Thelma e Louise.
Mas o horário de aulas encima de minha mesa só me deixou responder:
- Eu também!
Não consigo lembrar de uma frase conexa de nós duas, parecia um eterno papo de surdo e mudo.
Meu professor de história ligou avisando que não iria, pensei em dizer inferno, mas não disse deveria ter dito e assumi a aula.
No meio da aula ao invés de falar Império falei em alto e bom som: INFERNO!
Meu aluninho ( 12 anos) caiu na gargalhada, minha irmã também e eu não conseguia parar de gargalhar, ria alto quase morri de falta de ar. Tive que parar a aula por um tempo.
Nunca entendi, mas quando estou muito nervosa ou cansada tenho a estranha mania de cair no riso. O certo não seria chorar?
Acabou a aula fui lá para fora fumar 1 cigarro, precisava fugir de todas aquelas pessoas, por um instante que fosse precisava sair dali.
Minha irmã foi junto., foi sessão Thelma e Louise mais curta e ínfima que já vi na vida.
Da nada minha irmã grita:
- Olha lá a Bal 1!
Amiga e leitores, parecia muito. Só duvidei por causa do macacão de lycra... Mas estou numa fase que não duvido de mais nada nessa vida, então pq. minha amiga não poderia ter tido um surto de ser a nova loira do Tcham por um dia?
Por isso disparei a gritar: - AMIGAAAAAAAAAAAAAAAAA!
E minha irmã junto: - BAL1111111111111111111111111111!
Na verdade esgoelávamos.
A moça do outro lado da rua olhou com pavor e disse: - Vocês estão me confundindo!
Realmente estávamos, mas saímos como duas velhinhas resmungando:
- Nossa é a cara!

Será que o cansaço está tirando-me a visão, também? Ui.
Voltamos para escola e tinha uma família gigante nos esperando.
Como conheço minha irmã assim como me conheço, sei que pensou o mesmo que eu :
- Que mutirão é esse?
Era a família de uma aluninha que foi lá desejar FELIZ NATAL!
Feliz Natal!? Gente foi aí que me dei conta que estamos à duas semanas da data, eu não estava lembrando, nem todas as propagandas televisivas me fizeram atinar o fato de que o ano acabou e que as festas estão começando.
Não comprei presentes, não enfeitei a casa e muito menos pensei em ceia.
Poxa...nem vi o tempo passar, acho que nem me vi passar... e não deixei ninguém ver ( pensei muito nisso ontem antes de apagar).
Se acho isso ruim?
Um pouco, me deixei um pouco de lado, e isso chateia. Pois ao me deixar de lado, deixo muita coisa, muita coisa mesmo. Pareço insensível, entende?

Não me arrependo, a lição eu aprendi e acredito que as coisas eram para serem assim...bem acho!

Proponho a desacelerar ou melhor, preciso!
Quinta-feira que vem estou de férias.

A primeira coisa que vou fazer é ouvir o barulho da minha respiração, depois eu não sei, não vou me dar o trabalho de pensar.
Ah! A fatura do celular estava na cozinha....PUTZ!

BEIJOS EXAUSTOS.....ZZZZZZ
Bal 2

Um comentário:

Nat disse...

eu passo mau
kkkkkkkkkkkkk