Follow by Email

sábado, 27 de dezembro de 2008

Férias frustradas



Escrevi por horas e perdi...não salvei nada, não sei para onde e nem porque.
Então vai um resumo:



*FÉRIAS É PARA QUEM VIAJA.
*FÉRIAS É PARA QUEM ADORA VISITAS.
*FÉRIAS É PARA QUEM TEM REQUINTE.
*FÉRIAS É PARA QUEM NÃO TEM MEDO DA MULTIPLICAÇÃO DA CEIA DE NATAL.( alguém pode explicar o motivo dessas comidinhas nunca acabarem?)
*FÉRIAS É PARA GENTE MAGRA.
*FÉRIAS É PARA QUEM TEM $$$$.
*FÉRIAS É PARA QUEM AMA O SOSSEGO.
*FÉRIAS NÃO É PARA FUMANTE.
*FÉRIAS É PARA QUEM NÃO PRECISA TRABALHAR.
*FÉRIAS É PARA QUEM ESTÁ EM LUA DE MEL.
*FÉRIAS É ....
***********PARA TODO O MUNDO MENOS PARA MIM.



NÃO GOSTO DE FAZER VISITAS E MUITO MENOS DE SER VISITADA,


NÃO VOU VIAJAR NEM PARA CIDADEZINHA VIZINHA,


MEU REQUINTE ACABA NO SEGUNDO GOLE DE CERVEJA,


SE EU NÃO TIVESSE CRIADO A CORAGEM DE JOGAR A CEIA FORA O PERU TERIA RESSUCITADO,


COM ESSA MULTIPLICAÇÃO DE ARROZ A GREGA,CHESTER E PERUS ENGORDEI O SUFICIENTE PARA FICAR EM JEJUM 5 SEMANAS,


SOU DESASSOSSEGADA MINHA MEDITAÇÃO É FEITA COM OLHOS ABERTOS E CIGARRO NO CANTO DA BOCA,


O ÓCIO ME FAZ FUMAR COMO SÓCIA DA SOUZA CRUZ,


EU PRECISO TRABALHAR MUITO MAIS QUE NEGA RUIM, POIS O MASTERCARD NÃO TIRA FÉRIAS E A FATURA CHEGA NO DIA CERTO,


ME RECUSO A FALAR DA LUA DE MEL.



POR FIM: FÉRIAS É PARA QUEM SABE MEXER NO SEU COMPUTADOR NOVO.
EU NÃO SEI E QUANDO ACHO QUE FIZ O GRANDE TEXTO DO ANO E QUE VOU GANHAR O PRÊMIO NOBEL DA LITERATURA, ELE DESAPARECE SEM AVISO PRÉVIO.
A VONTADE É TIRAR FÉRIAS DE MIM, JÁ QUE NÃO POSSO....ESTOU emputecida MESMO, VOU VIRAR MAIS UMA VEZ MEMBRO INTEGRANTE DO SOFÁ.


CASO ALGUÉM QUEIRA ME COMPRAR VAI TER QUE LEVAR O SOFÁ JUNTO.
E TENHO DITO.



AMANHÃ QUIÇA VOLTAREI MENOS ÁCIDA.
BAL 2



Ps: Não conta para ninguém minha amiga, mas andei sondando o preço do botox, é o olho da cara! BOTOX É COISA....não não vou começar!

Me preparando para um Botox

Depois de mais ou menos 2 horas no telefone com minha amiga Bal2... Orelha quente (chega a estar ardendo)... Devaneios filosóficos... Indignações... Surtos... Eu tinha que aparecer por aqui.

Essa coisa de final de ano é extremamente irritante.
Parece que todo mundo fica com cara de “foto do Orkut”. É uma felicidade exagerada... Uma comemoração que não tem fim...
Uma esperança de: “no ano que vem tudo será melhor”... “no ano que vem eu vou emagrecer”... “no ano que vem eu vou arrumar um namorado”... “no ano que vem eu vou ganhar dinheiro”... Sempre tudo no ano que vem.
Detalhe: Qual foi a parte que ninguém percebeu que essas promessas são feitas em TODO final de ano?!
Então o ano vira... E lá vamos nós esperarmos chegar dezembro pra refazer as promessas e votos de dias melhores... Oi?!
E ai?!


Mas o motivo maior da minha vinda não foi pra falar do otimismo maçante de final de ano. Hj quero falar do “envelhecimento”. É... Isso mesmo... Quero deixar minhas percepções do que é envelhecer. Pra uma mulher... É o fim. Acreditar que a imagem que se vê no espelho é real, é uma das tarefas mais difíceis que a mulher tem depois que ultrapassa os “trinta e poucos”.
É um martírio!!
Pq na nossa cabeça ainda somos aquela garotinha lá de trás... Que era cobiçada... Desejada... A síndrome da Cinderela persiste, mesmo quando seu rosto grita por um “Botox”.
Aquela velha calça guardada, continua pendurada no guarda-roupa esperando a hora do milagre...
ACOOOORDAAAAA!!!
Vc NUNCA mais vai caber dentro da coitada de tamanho 38...
Doe... Joga no mar como oferenda... E dê-se por satisfeita de ter aumentado apenas uns 3 numerosinhos (É... Poderia ser pior do que isso)!!!

Quando é que na sua vida vc imaginou que faria uma viagem de férias e não beijaria na boca uma vez sequer?! Quando é que vc pensou que ficaria feliz quando um único homem que te deu moral (um espetáculo, diga-se de passagem) estava com esposa e filhos e não passava de um galinha de marca maior?!
Detalhe: E vc e a coitada da esposa estavam na piscina tricotando informações da criação de filhos adolescentes...
Quando foi que vc pensou que passaria na rua toda produzida de mãos dadas com sua filha e escutaria um sonoro “OI SOGRONA!!”...

Não... Eu definitivamente não estou preparada para essa fase. Ninguém me instruiu a modelar minha cabeça para essa nova realidade. Estou aqui, mas não pertenço a esse novo mundo que me aponta 2009.

Em que ponto eu comecei a envelhecer assim que eu perdi?!

Mas ai eu vejo uma mulher como Madonna, e a esperança se renova. Ver aquela mulher de 50 anos no palco, foi, além de espetacular, um bálsamo de esperança em saber que uma mulher daquela idade pode sim ter aquele corpo... Ai eu tenho que ouvir: “Ela está horrorosa”... “Olha o rosto dela”... “Olha a mão dela”... E eu digo: Meus queridos, se eu chegar aos 50 anos com metade do vigor e corpo daquela mulher e ainda pegando gatinhos sarados de 20 anos, tá de ótimo tamanho!!!

NOTA DO DIA: Fazer cotação de Botox, Lipo, Abdominoplastia e Terapia... Urgenteeeeeeeeeeeee!!!!!!

Beijos enrugados!


Bal1

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Desejo

Eu desejo que desejes ser feliz de um modo possível e rápido,
Desejo que desejes uma via expressa rumo a realizações não utópicas, mas viáveis, que desejes coisas simples como um suco gelado depois de correr ou um abraço ao chegar em casa...

Desejo que desejes com discernimento e com alvos bem mirados. Mas desejo também que desejes com audácia,
Que desejes uns sonhos descabidos
E que ao sabê-los impossíveis não os leve em grande consideração,
Mas os mantenha acesos, livres de frustração,
Desejes com fantasia e atrevimento, Estando alerta para as casualidades e os milagres, Para o imponderável da vida, onde os desejos secretos são atendidos.

Desejo que desejes trabalhar melhor, que desejes amar com menos amarras,
Que desejes parar de fumar, que desejes viajar para bem longe...
E desejes voltar para teu canto, desejo que desejes crescer...
E que desejes o choro e o silêncio, através deles somos puxados pra dentro, Eu desejo que desejes ter a coragem de se enxergar mais nitidamente. Mas desejo também que desejes uma alegria incontida,
Que desejes mais amigos, e nem precisam ser melhores amigos,
Basta que sejam bons parceiros de esporte e de mesas de bar, Que desejes o bar tanto quanto a igreja, Mas que o desejo pelo encontro seja sincero,
Que desejes escutar as histórias dos outros,
Que desejes acreditar nelas e desacreditar também,
Faz parte este ir-e-vir de certezas e incertezas,
Que desejes não ter tantos desejos concretos,
Que o desejo maior seja a convivência pacífica com outros que desejam outras coisas.
Desejo que desejes alguma mudança, Uma mudança que seja necessária e que ela não te pese na alma,
Mudanças são temidas, mas não há outro combustível para essa travessia. E desejo, principalmente,
Que desejes desejar, que te permitas desejar,
Pois o desejo é vigoroso e gratuito, o desejo é inocente,
Não reprima teus pedidos ocultos, desejo que desejes vitórias, romances, diagnósticos favoráveis, mais dinheiro e sentimentos vários,

Mas desejo, antes de tudo, que desejes, simplesmente..
Martha Medeiros

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Resta uma Polyana no mundo



Nada de clichês do tipo: mais um ano, acabou, 10,9,8...
Vamos ao que interessa, ao que foi feito, e ao que continuará a ser.
Mas estou desconfiada que fugir totalmente do clichê parece um bocado impossível.
De um tempo para cá, tenho ouvido muito a clássica:
-Como você consegue ser assim?!!!
Ser assim que apesar dos percalços, das pedras, das dores... é ser leve, acreditar...
Tenho muito mais paixão pelo simples: como arrumar uma casa, e colocar uma margarida em um vasinho; do que pelo complicado.
Acho que tenho uma certa angustia em saber administrar o que me parece muito, sei que por querer o simples pareço complicadíssima.
Do alto dos meus 34 anos, nunca senti tanta leveza e certeza.
Ah! se eu soubesse que seria assim, não teria tido medo de ser uma balzaquiana.
Estou de férias, depois de um ano que para quem olhava vai tentar me desmentir, pois pareceu fácil por demais, mas ninguém, ninguém mesmo, sabe o quanto me exigiu. Usei todas minhas forças para continuar realizando meu sonho, só eu sei das coisas que abri mão, confesso que muitas não eram necessário, as fiz, pronto!
Vi muito, mais, sorrisos de meus alunos, saldo financeiro negativo, pedi empréstimo, fiz promoções e o melhor,convenci.
Retorno dia 06, se vou viajar?
Qual a parte de empréstimo que alguém não entendeu?
Vou mergulhar em mim, esse mar já me basta por hora.
No amor?! Confesso que perdi para mim mesma. Essa contastação é péssima, me faz ter uma incrível vontade de evaporar sem nenhum aviso. Mas é a verdade, e dessa aí não posso fugir!

Tive chance de dois namoros legais, acho que se eu não tivesse me traído ou me obedecido. ...teria dado romance. Mas não, a louca aqui no tão esperado segundo encontro, aquele que pode ser definitivo, fui bêbada de cair pelas tabelas, com a boca torta, falando absurdos obedecidos pelo Id ou Superego descontrol; em suma fazia propaganda enganosa...quase que colocar um fumante para propagar a importância do ar puro. : /
Falava, falava, falava e ... perdia para mim mesma.
Esqueci de ler as regras do jogo, ou então realmente eu não quis...
A pessoa que mais abomino nessa vida, é essa louca aí...bebo para aturar os chatos, para relaxar e principalmente sublimar. Só não sei beber, então acaba que os que me cercam têm que me aturar, e no dia seguinte é o fim, quase morte.
Ai MEU DEUS quantas vezes morri esse ano!!!!!
O pior é que tenho a estranha mania de tentar me retratar com a velha máxima ridícula:
- DESCULPA, acho que estava um pouco alta!
Que alta o quê?!!!! Estava voando com o Padre dos balões, só que no dia seguinte ao invés de estar em outra órbita, estava quicando na cama...ai!
Como sou Polyana, prefiro acreditar que não perdemos e sim sempre ganhamos.

MORTE à LOUCA DA POLLYANA!!!!!

O “meu” platônico Amor, hoje, é menor, pois hoje urge desejos, mais, maduros, que exigem contatos, pele, gosto e principalmente cheiros.
Mantemos contato e desejos, que só estão esperando o amor de verdade de carne e osso chegar, enquanto isso na certeza e incerteza de não sermos nós, nos enchemos de encantos, tesão e paixão. Até segunda ordem ele é o príncipe e eu a Cinderela que esqueceu o sapatinho de cristal em um lugar que nem eu, nem tu e nem ele sabemos.
Mas lá vem a sombra da Polyana, ainda acredito que vou encontrar o saltinho de cristal em outras palavras: EU ACREDITO NO AMOR!!!!!
Um belo dia, aqueles dias que você esta sexualmente transmissível e bela de doer, resgatei um paixão de pele do passado, somos amantes /amigos até hoje. Adoro a massagem de ego ...
eu não sei quanto a ele, só sei que me obedece...pois sou uma amante que exige presença na sexta-feira, sábado e domingo. O coitado se esforça, já matou tanta gente para me ver, que estão construindo um novo cemitério na cidade. : )
Outro que tentei um affaire mais “picante” foi um candango excelente de papo, que conheci numa dessas solitárias sexta-feira na sala de bate papo da Uol, me ligava de todos os países possíveis (viaja muito por conta do trabalho), veio duas vezes ao meu encontro...provou que beleza não é importante, mas que a pegada é essencial...para sermos amigos está lindo, mas não quero nada que fique a desejar. Até porque não sei, e não quero ser a outra...pouco,mui poco!
Houveram outros beijos, outros e outros, mas nada que movesse um só músculo meu, portanto não entra na biografia da vida.
Quanto a família, na ausência de MEU PAI tento humildemente tapar algumas lacunas deixadas por sua falta, minha mãe e eu ainda vivemos um relacionamento conflitoso apesar do amor. Meus irmãos são meus filhos por hora, e nunca deixaram de ser, mesmo quando tiver o meu.
Estou cuidando de mim: reiki, natação, musculação, respiração, perdão, Margarida.... e a certeza de que a vida é assim.
Acabei de abrir uma cerveja, estupidamente, gelada, sinto o cheiro de férias, estréio o meu computador novinho, e não estou fazendo nenhuma contagem regressiva só estou sendo simplesmente eu.
Ah!!! meus amigos? São meus, e quanto a isso só devo dizer que é sagrado.
Feliz Ano Novo e sem promessas.
Beijos simples.
PS: Ah! Voltei a conversar com todo carinho e afeto do mundo com meu ex marido!
Guilhotina para Polyana! rsrsrsrsr
Bal2

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Pra todo fim... Um começo!

Fim de história!
Como era previsto, o amor não foi suficiente para encarar quem somos hj...
Portanto: That’s over baby!
Ahhhh... Mas não pense que foi assim tão fácil... Que não morri por dentro e pensei que não acordaria no dia seguinte... Sim... Claro... Fiz tudo o que faz uma mulher quando vê seu amor partindo:
Chorei... Supliquei que ficasse... Faltei o trabalho... E chorei um rio inteiro...
Depois tive raiva... Rasguei as fotos... Excomunguei até a última geração dele... Falei pra todos que ele não era homem pra mim... Me senti bem... E 5 minutos depois estava me debulhando em lágrimas novamente...
Escrevi o último e-mail... Tentei fazê-lo recobrar a razão... Convencê-lo que EU era a única mulher que poderia fazê-lo feliz... E depois me arrependi de ter clicado o “enviar”... E chorei mais um pouco...
Mudei meu Orkut... Troquei as fotos... Escrevi frases que sabia que ele leria... Fiz drama... Tentei uma reconciliação por chantagem emocional... (Mulher é um bicho ridículo mesmo)...
Fiz TUDO que qualquer mulher faria...
Dei tempo ao meu sofrimento... Deixei-o exercer seu ofício...
Cumpri todo o protocolo da dor amor!
AGORA CHEGA!
E hj escrevo com uma paz estranha. Um vazio... Mas esse vazio, por sua vez, não dói. Parece que a dor se acomodou... Voltou pra o lugarzinho que sempre esteve e que não incomodava... Encaixou...
Como tudo na vida se encaixa. Vida nada mais é que isso... Um grande jogo de LEGO. As pecinhas vão se unindo... E por hora perdemos uma ou outra... Então substituímos por outra... E o que ia ser uma Estrada de Ferro... Pode virar um Forte Apache... Então a história vai mudando... Se encaixando...
Sempre acontece assim comigo... Depois da tempestade, vem uma lerdeza... Uma vontade de ficar quietinha... Em silêncio... É impressionante o quanto preciso da solidão pra me reconstruir... É imperativo em minha vida, que eu reencontre sozinha. Calada.
Se ser assim é errado... Não sei... Mas só sei ser assim.
Se fosse cantar hj, cantaria: “Socorro não estou sentindo nada... Nem medo, nem calor, nem fogo... Não vai dar mais pra chorar...Nem pra rir.”
Estou em manutenção.
E não abro mão disso...
Se o que faltava para encerrar essa história era o último drinque... Ele foi sorvido até a última gota.

SALUT! E siga seu caminho em paz...

Eu vou seguir o meu... Meio que embriagada... Mas não há porre no mundo que não acabe no dia seguinte.

Sorte minha!

Beijos de um novo dia!


BAL1


Amiga... Obrigada por existir e por me saber tão melhor que eu por vezes. Tim-Tim!

terça-feira, 25 de novembro de 2008

A Fé não costuma falhar


Abri um olho, abri o outro e procurei o aperto no coração.
Nada!
Fui fazer café olhando para os lados, aquela angustia poderia estar me pregando uma peça... nada.
Acendi o cigarro - meu estômago já não existe mais – vasculhei todos os cantos e nada.
Coração tranqüilo. Ontem dormi dizendo que meus problemas vão ser resolvidos por DEUS, apaguei...tanto que Bal me ligou e só fui ver hoje ( lá vem um desabafo por aí).
Acordei assim...em paz, sem sobressaltos e com os batimentos cardíacos normais.
Mas por via das dúvidas vou numa coisa chamada Fogueira dos Milagres, não sei bem ao certo o que é, mas como quero tantas coisas simples e quando peço parece que sou exigente, estou começando a acreditar que só um milagre para atender meus pedidos.
Dinheiro e meu amor. Simples não?! Haaaaaaaaaaa
Por hora só tenho amantes...tenho que contar minhas peripécias como amante. “Tenho” dois. (rs) que são obrigados...ah conto na próxima postagem.
Vou parar, tenho que procurar um extintor para ir a tal fogueira...
“andar com fé eu vou, que a fé não costuma falhar.”

Amiga,
O último drink sempre se faz necessário para que possamos continuar a experimentar outros sabores.
Por hora sei que o gosto é de lágrima, mas quem chora agora não é a menina de 15 anos, mas sim uma mulher que sabe “brindar”.

Beijos de fé.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Segunda-feira BRAVA!!!!



Hoje acordei do avesso. Tudo parecia fora do lugar. Como se o coração fosse o intestino e assim por diante... fiquei mais pesada.

Só queria chorar. Como não se chora por um luto só, choraria horas a fio sem saber o protagonista.

Fui arrastada trabalhar, quem me conhece não me viu ali, viu uma mulher apática e com os olhos distantes e cheios de lágrimas que tentei com muito custo disfarçar com um rimel resistente a água.

Simbióticamente ( acho que isso é neologismo) do outro lado a Bal1 sentia esse mesmo vazio.

Coisa de alma.

Pensamos em todas as alternativas para um encontro...meu corpo não queria e meu dinheiro não permitia.

Cheguei em casa e decretei: HORA DE SILÊNCIO.

Acendi velas, incenso, pus aqueles CDS que te ensinam a respirar ( eu não sei), liguei o chuveiro e me entreguei.

Estou mais leve, mas ainda tem alguma coisinha fora do lugar...só não sei o que.

Hoje eu só queria colo...mas não sei responder de quem.

Quero respostas...não sei quais.

Quero um sono tranqüilizante.

Eu quero.....é isso que sei.

Isso sim é uma segunda-feira brava.

Beijos.

E...

Bal 2

Tim-Tim


“Tem dias que a gente se sente, como quem partiu ou morreu...”
É essa é minha frase de retorno...
E retorno assim... Meia boca...
Precisava desse espaço hj como preciso do ar que respiro...
E se me perguntarem o que está acontecendo...Eu só sei dizer: não sei.
Esperei por um amor a vida toda... E agora?! O que faço com ele?!
O que faço com as pessoas que nos tornamos?!
Quando vejo seu rosto volto a 20 anos atrás... Adolesço... E vem um sentimento gostoso... Uma coisa meio que de filme...
Trocamos juras... Juras que nunca foram feitas por ele... E que agora tenho o prazer de escutar... Sorver cada palavra de carinho... Como se fosse um débito de afeto que tenho guardado...
Mas ai vem a realidade... Quem somos hj?!
Definitivamente não somos os mesmos...
Tornamos-nos adultos, e com essa transformação vieram tantas outras... É aquela coisa tipo: “Eu não caibo mais na roupa que eu cabia”... E vc olha no espelho, e não é mais o mesmo...
Esse resgate me parece incoerente... Em vão... Pq O TEMPO NÃO VOLTA ATRÁS!!!
Estamos fingindo pra quem?!
A porra da Urgência de Afeto tilinta aos ouvidos de quem não encontrou sua outra metade... Ou se encontrou... Deixou escapar... Deixou que o tempo te reconstruísse... E nessa reconstrução perde-se pedaços irrecuperáveis.
Quem eu era... Eu não sou mais... Não há a menor possibilidade de resgatar aquela menina 14, 15, 16, 17... Ela simplesmente não existe mais.
E não sei se a dor hj é por saber que tratasse de um amor impossível pois ambas as partes já não existem... Ou se é por ter que aceitar que aquela menina não existe mais.
Descobri hj que a pior despedida que se pode ter... É se despedir de vc mesma...
Por hora fico aqui quietinha... Esperando que as palavras que tem que ser ditas não tenham que sair da minha boca...
Sim, sou covarde.
Por hj fico cá, com essa tristeza... Queria uma vida emprestada... Ou, no mínimo...Um dia pronto amanhã.
E como diz minha amiga, Bal2: “Sempre existe um último drinque”.
Descobri hj que esse drinque foi servido... Basta fazer o brinde... E seguirmos nossas vidas!

Beijos de despedida!!

Bal1
Ps: Welcome to my life...

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Do silêncio para festa.........



Tenho a estranha mania de olhar para trás, em todas as situações. Parece uma um modo que encontrei para ter certeza das coisas que estou deixando.
Olho, não volto.
Já que uma decisão minha é sempre definitiva.
Um namoro que acabou, acabou.
Mas eu olho para trás.
Dá para entender?
Não...sei, sei que é confuso, tentarei explicar.
Se termino um namoro, tenho como basta aqueles tramites todos de um namoro, olho verifico o que deixei escorrer...caso volte ao ponto final, tenha certeza que sempre abro um novo parágrafo, não apago o ponto.
Namoros fintados nunca voltam a ser namoro de novo
[ As coisas não voltam]
Entendeu?
Essa ladainha toda foi para falar que estou olhando tanto para trás que andei esquecendo de olhar para frente, a verificação estava intensa...
O ano acabou...meu trabalho denuncia isso a cada instante...
Então de um tempo para cá estou revendo tudo o que fiz e deixei de fazer.
Estou no balancete do saldo positivo ou negativo. Uma coisa pesa, a outra não move nada e assim vai...até agora posso dizer que foi um ano linear.
Que coisa sem sal, nada mais sem graça que algo morno, reto, óbvio....
Mas foi assim, dei o melhor de mim e o melhor foi aguado... Fiquei a deriva, vendo as coisas acontecerem, entende?
Não entrei na festa.
Fiz da vida um silêncio profundo. Às poucas vezes que saia para mergulhar, voltava afogada até a alma, exagerava e não aproveitava nada. Era tão intenso que nem eu alcançava.
Foi assim... O porquê do pretérito da história se ainda temos 40 dias pela frente?
Por que do nada, em meio a tanta coisa óbvia e rotineira, as coisas bagunçaram. Parece que começa algo novo, o silêncio acabou, às 8hs dormidas está escapando, o coração deu sinal de vida, a música está se fazendo alta...

Meu ano acabou de começar. Acho que precisei de tanto silêncio para agora poder dar a sonora gargalhada SINCERA que estou dando agora, nunca houve tanta sinceridade em mim.
Sinceramente....
Bal 2



Ps; Está chovendo...adoro noites de chuva!

domingo, 9 de novembro de 2008

De volta


Ontem conversando com um amigo, toquei no assunto que tinha um blog. Essa coisa de blog esta sublimado já tem alguns meses, direto abro a página e olho, começo a escrever e paro. Vale lembrar que odeio sublimar, embora sublime muitas coisas, mas quando estoura sai cobras lagartos e afins.

Esse rami-rami todo é para falar que voltei...atrasada eu sei, a última vez que escrevi foi sobre o platonismo, que...deixa pra lá.

Voltei, pronto e acabou!

Ando tão prática ultimamente, ou é ou não é...deixar de sofisma é o que me interessa...vou entender do mesmo jeito e prometo perdoar.

Ontem foi dia de programa a la bal 2, quem me conhece sabe: 3 cervejas, almoço gordo, siesta e depois filme com pipoca.

Encontrei Bal 1 no MSN, nossos encontros sempre são no mínimo um jogo de códigos e conclusões sem fim, nós entendemos tudo só não respeitamos. Pois não é que a criatura virou a filha da Cinderela!!!! Depois eu que tenho a síndrome do sapatinho de cristal!!!

Por que a filha da Cinderela?

Simples, porque está sento mil vezes mais ingênua que a faxineira que encontrou 3 fadinhas e foi para festa na abóbora.

E o pior a culpa é minha!

Tem dias que não tenho muita coisa para fazer...pronto confessei!

Como o computador fica na minha frente eu fico criticamente passeando pelo orkut, um site de relacionamento que alavancou a venda de câmeras digitais, e que todas as pessoas ali desconhecem a palavra problema.

Nesses meus passeios encontrei o primeiro namorado dela, mais do que depressa mandei o link para amiga e em menos de 1 semana ela me liga: Amiga, vou casar e você vai ser madrinha!!!

Opa, estamos aí!!!

- Mas quando vai ser isso?

- Quando ele voltar de Boston, mas você tem que ser madrinha.

Opa, estamos aí 2!!!!!

Lá vem...se eu não conhecesse a peça daria os parabéns, já teria comprado o vestido e fazendo aqueles cursos de padrinhos todo santo dia. Acho que o casamento vai sair, e nossas dialéticas só vão aumentar. Ela com certeza esta pregando canutilho por canutilho em seu vestido. Amiga CORAGEM E SORTE!!!!!!

Por isso ela sumiu tanto. E vai continuar por muito tempo.

Então eu vou assumir esse lugar aqui.

(hoje acordei totalitarista).

Quanto a mim, tudo quase do mesmo jeito.

Mudei um pouquinho, estou mais calma, com um sorriso freqüente e com uma paciência de fazer inveja a Jó.

Mas uma vez deixei o amor para segundo plano, sem culpa e muito menos traumas. Arrisco umas paixões que passam com a chuva, trabalho é meu sobrenome, voltei com fúria para o reiki o que tem me feito essa coisa “fofinha” que está parecendo aqui, vou fazer o nível III, ai eu quero ver. Ando brincando muito com o desconhecido, quero ser apresentada a ele.

Quando falei lá em cima que agora é 8 ou 80, é por que simplesmente não quero longas explicações e nenhuma conclusão.

Tenho muita coisa para contar, mas hoje é domingo...vou fazer o programa a la bal 2 parte2, para isso preciso sair vagando para comprar os enfeites da minha festa particular.

Por hora só esse textinho muito do chato...é só para assombrar mesmo!

Volto logo... A festa autista já vai começar.


Beijos sem inspiração.

Bal 2

terça-feira, 1 de abril de 2008

Sina


Pensando bem em tudo o que a gente vê e vivenciae ouve e pensa, não existe uma pessoa certa pra gente.Existe uma pessoa que se você for parar pra pensar é, na verdade, a pessoa errada.Porque a pessoa certa faz tudo certinho!
Chega na hora certa, fala as coisas certas,faz as coisas certas, mas nem sempre a gente tá precisando das coisas certas.
Aí é a hora de procurar a pessoa errada.A pessoa errada te faz perder a cabeça, perder a hora, morrer de amor...A pessoa errada vai ficar um dia sem te procurarque é pra na hora que vocês se encontrarema entrega ser muito mais verdadeira.
A pessoa errada, é na verdade, aquilo que a gente chama de pessoa certa.Essa pessoa vai te fazer chorar, mas uma hora depois vai estar enxugando suas lágrimas.Essa pessoa vai tirar seu sono.Essa pessoa talvez te magoe e depois te enche de mimos pedindo seu perdão.Essa pessoa pode não estar 100% do tempo ao seu lado, mas vai estar 100% da vida dela esperando você.Vai estar o tempo todo pensando em você.A pessoa errada tem que aparecer pra todo mundo, porque a vida não é certa.
Nada aqui é certo!
O que é certo mesmo, é que temos que viver cada momento, cada segundo, amando, sorrindo, chorando, emocionando, pensando, agindo,querendo,conseguindo...
E só assim, é possível chegar àquele momento do dia em que a gente diz:
"Graças à Deus deu tudo certo"Quando na verdade, tudo o que Ele quer é que a gente encontre a pessoa errada pra que as coisas comecem a realmente funcionar direito pra gente...

domingo, 30 de março de 2008

Platônico


Amor platônico:
O amor platônico, todo romântico sabe, é aquele que nunca se concretiza. "Platônico" vem de Platão, justamente porque o filósofo grego acreditava na existência de dois mundos o das idéias, onde tudo seria perfeito e eterno, e o mundo real, finito e imperfeito, mera cópia mal-acabada do mundo ideal.


Fico me perguntando a que ponto cheguei?
Acalentar com tanto esmero algo irreal?
E por tanto tempo...

Vou contar, talvez assim as palavras me façam perceber o quanto perco tempo e força.
Há 3 anos cheguei na casa de Bal 1 que estava conversando com um moço no MSn, não dei a mínima e fui arrumar a cerveja no congelador.
Ela do nada solta: - Esse moço é sua cara!
Olhei rápido a imagem da cam e abri minha latinha e respondi:
- Ahhh, só porque usa óculos?
- Ele esta perguntando quem é você.
- Uai, responde.
Nunca soube o que a Bal 1 respondeu, sei que na falta do que fazer sentei lá e troquei meia dúzia de palavras com ele.
Em 30 minutos me ligou, a voz me fez estremecer, mas não quis sair com ele...logo recebi uma mensagem :
Você me seduz fácil demais.
Juro que não tinha feito nada para merecer aquela mensagem, mas ali começava uma longa história.
Trocamos Msn, e todo santo dia nos falávamos, cada dia melhor.
Até que um dia eu liguei e ele foi até a porta do meu apartamento me conhecer.
Quando vi aquele sorriso gigante proporcional aos seus 2metros, pensei: FUDEU!
Conversamos uns 15 minutos e ele solta:
- Eu tenho namorada!
- Entendo, mas por onde anda essa mulher?
- Muito longe daqui, no MT.
Confesso que fui grossa, afinal de contas qual era a daquele cara?
Entrei para casa amaldiçoando a mim, ele e a namorada, quando vi no espelho do elevador que estava com a blusa do lado do avesso e o cabelo horroroso. Pensei: - Menos mal, assim me acha louca e me deixa em paz!
O problema é que a paz já não existia mais, dentro de mim as coisas estavam desgovernadas, estava sentindo uma inquietude que não sabia o nome, tanto que dei um tempo e entrei no MSn e lá estava ele, pensei em bloquear mas foi muito mais rápido que eu:
- Você linda pessoalmente, seu sorriso é uma delícia!
Continuamos a nos falar diariamente, e como tenho a estranha mania de querer consertar o mundo dos outros, virei sua psicóloga e namorada virtual. Sabia de sua vida mais que sua namorada, com certeza.
A coisa por aí ia crescendo.
Ele nunca foi de sair de casa, mas passou a freqüentar os mesmos lugares que eu. Nunca nos encontrávamos, até que um dia o destino nos colocou frente a frente sem nenhum monitor para atrapalhar.
Não resisti e roubei um beijo, roubei mesmo...não pedi. Ele tentou se esquivar, mas não dava mais e foi aí que percebemos que para agravar tudo: tinha química.
As conversar continuavam, a vontade só aumentava e a cumplicidade também.
Passamos a nos encontrar muito, ele sempre soube como me encontrar. Na maioria das vezes conversávamos muito e só, outras eram só olhares e algumas o pior ciúmes pois já que ele não realizava, fazia questão que me visse com o romance da época, era estridente a raiva dele.
Agredíamos-nos como dois namorados, e seu digitar ficava mais leve quando falava que o romance tinha acabado.
As declarações eram sempre linda e totalmente pertinente para o contexto surreal que vivíamos.
Na verdade era um paradoxo.

Parece louco, mas era tudo ( ainda é) tão intenso que é como se estivéssemos um ao lado do outro, como se fosse possível ouvir a risada e o choro.
Até um dia de tanto diz que me diz, esse homem se encheu de coragem (coisa que ele não tem) e falou que estava passando para me buscar, fiquei atônita e confesso que fui invadida por uma incrível vontade de fugir, estava sentindo o mesmo medo que ele tanto tentava me explicar que sentia.
Finalmente ficamos juntos de verdade, era tanta vontade que parecíamos dois famintos de nós dois.
Não tinha mais o que questionar, a música estava certa: “Nós dois fomos feitos muito para nós dois...”
As coisas continuaram como sempre, mais intensas é claro.
Nesse tempo namorei outros homens, arrisquei novas paixões, outros beijos , enfim nunca deixei a vida parar, mas sempre me pegava pensando nele.
Eu sumia, ele também, voltávamos cheios de curiosidades e arrisco dizer que até saudades.
Ficamos juntos outra vez, muito mais intensa, sinto o gosto até hoje...vai fazer 1 ano, aliás vai fazer esse tempo que não nos vemos. Namorei nesse meio tempo, o universo não ajuda no encontro, o dia que ele vai eu não vou e nenhum dos dois tem a coragem de ligar.
Sei que é muito óbvio a história de que quem quer faz, todo mundo fala se ele quisesse te procuraria. Mas eu quero tanto e não procuro.
Por isso não entendo.
Muitas vezes arrisco dizer que a tese é simples: acho que no mundo real eu tenho muito medo de ter a certeza de que ele não é nada disso, por isso prefiro deixar como está. Em um lugar onde quem mexe as peças sou eu, não quero fico off line, se quero estou on, e assim por diante.
É ridículo eu sei, é pouco!
Semana passada nossas conversas chegaram a um nível de definição, enlouqueci daqui e sei o quanto ele enlouqueceu de lá.
A coisa está muito perto de acontecer, agora só não sei responder se é SIM ou Não.
Por maior que seja minha insegurança, ou melhor, medo cansei da “dúvida” embora eu já saiba a resposta.
Eu só quero estar enganada.

Bal 2


Ps: É Tudo tão confuso que não sei escrever, bem ,esse assunto.

quinta-feira, 27 de março de 2008


Vou começar de novo.
Não deixarei isso aqui abandonado, não posso cometer os mesmos erros que cometi o ano passado.
Portanto voltei.
Vou passar tudo para cá.
Beijos
Bal 2

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008


Está tudo ótimo comigo.
Muitas coisas aconteceram. Tenho muito que contar.
Tenho meus motivos para não estar escrevendo, que não demorará vocês saberem.
Por hora...deixo um beijo escolhido.
Bal 2