Follow by Email

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Pra todo fim... Um começo!

Fim de história!
Como era previsto, o amor não foi suficiente para encarar quem somos hj...
Portanto: That’s over baby!
Ahhhh... Mas não pense que foi assim tão fácil... Que não morri por dentro e pensei que não acordaria no dia seguinte... Sim... Claro... Fiz tudo o que faz uma mulher quando vê seu amor partindo:
Chorei... Supliquei que ficasse... Faltei o trabalho... E chorei um rio inteiro...
Depois tive raiva... Rasguei as fotos... Excomunguei até a última geração dele... Falei pra todos que ele não era homem pra mim... Me senti bem... E 5 minutos depois estava me debulhando em lágrimas novamente...
Escrevi o último e-mail... Tentei fazê-lo recobrar a razão... Convencê-lo que EU era a única mulher que poderia fazê-lo feliz... E depois me arrependi de ter clicado o “enviar”... E chorei mais um pouco...
Mudei meu Orkut... Troquei as fotos... Escrevi frases que sabia que ele leria... Fiz drama... Tentei uma reconciliação por chantagem emocional... (Mulher é um bicho ridículo mesmo)...
Fiz TUDO que qualquer mulher faria...
Dei tempo ao meu sofrimento... Deixei-o exercer seu ofício...
Cumpri todo o protocolo da dor amor!
AGORA CHEGA!
E hj escrevo com uma paz estranha. Um vazio... Mas esse vazio, por sua vez, não dói. Parece que a dor se acomodou... Voltou pra o lugarzinho que sempre esteve e que não incomodava... Encaixou...
Como tudo na vida se encaixa. Vida nada mais é que isso... Um grande jogo de LEGO. As pecinhas vão se unindo... E por hora perdemos uma ou outra... Então substituímos por outra... E o que ia ser uma Estrada de Ferro... Pode virar um Forte Apache... Então a história vai mudando... Se encaixando...
Sempre acontece assim comigo... Depois da tempestade, vem uma lerdeza... Uma vontade de ficar quietinha... Em silêncio... É impressionante o quanto preciso da solidão pra me reconstruir... É imperativo em minha vida, que eu reencontre sozinha. Calada.
Se ser assim é errado... Não sei... Mas só sei ser assim.
Se fosse cantar hj, cantaria: “Socorro não estou sentindo nada... Nem medo, nem calor, nem fogo... Não vai dar mais pra chorar...Nem pra rir.”
Estou em manutenção.
E não abro mão disso...
Se o que faltava para encerrar essa história era o último drinque... Ele foi sorvido até a última gota.

SALUT! E siga seu caminho em paz...

Eu vou seguir o meu... Meio que embriagada... Mas não há porre no mundo que não acabe no dia seguinte.

Sorte minha!

Beijos de um novo dia!


BAL1


Amiga... Obrigada por existir e por me saber tão melhor que eu por vezes. Tim-Tim!

terça-feira, 25 de novembro de 2008

A Fé não costuma falhar


Abri um olho, abri o outro e procurei o aperto no coração.
Nada!
Fui fazer café olhando para os lados, aquela angustia poderia estar me pregando uma peça... nada.
Acendi o cigarro - meu estômago já não existe mais – vasculhei todos os cantos e nada.
Coração tranqüilo. Ontem dormi dizendo que meus problemas vão ser resolvidos por DEUS, apaguei...tanto que Bal me ligou e só fui ver hoje ( lá vem um desabafo por aí).
Acordei assim...em paz, sem sobressaltos e com os batimentos cardíacos normais.
Mas por via das dúvidas vou numa coisa chamada Fogueira dos Milagres, não sei bem ao certo o que é, mas como quero tantas coisas simples e quando peço parece que sou exigente, estou começando a acreditar que só um milagre para atender meus pedidos.
Dinheiro e meu amor. Simples não?! Haaaaaaaaaaa
Por hora só tenho amantes...tenho que contar minhas peripécias como amante. “Tenho” dois. (rs) que são obrigados...ah conto na próxima postagem.
Vou parar, tenho que procurar um extintor para ir a tal fogueira...
“andar com fé eu vou, que a fé não costuma falhar.”

Amiga,
O último drink sempre se faz necessário para que possamos continuar a experimentar outros sabores.
Por hora sei que o gosto é de lágrima, mas quem chora agora não é a menina de 15 anos, mas sim uma mulher que sabe “brindar”.

Beijos de fé.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Segunda-feira BRAVA!!!!



Hoje acordei do avesso. Tudo parecia fora do lugar. Como se o coração fosse o intestino e assim por diante... fiquei mais pesada.

Só queria chorar. Como não se chora por um luto só, choraria horas a fio sem saber o protagonista.

Fui arrastada trabalhar, quem me conhece não me viu ali, viu uma mulher apática e com os olhos distantes e cheios de lágrimas que tentei com muito custo disfarçar com um rimel resistente a água.

Simbióticamente ( acho que isso é neologismo) do outro lado a Bal1 sentia esse mesmo vazio.

Coisa de alma.

Pensamos em todas as alternativas para um encontro...meu corpo não queria e meu dinheiro não permitia.

Cheguei em casa e decretei: HORA DE SILÊNCIO.

Acendi velas, incenso, pus aqueles CDS que te ensinam a respirar ( eu não sei), liguei o chuveiro e me entreguei.

Estou mais leve, mas ainda tem alguma coisinha fora do lugar...só não sei o que.

Hoje eu só queria colo...mas não sei responder de quem.

Quero respostas...não sei quais.

Quero um sono tranqüilizante.

Eu quero.....é isso que sei.

Isso sim é uma segunda-feira brava.

Beijos.

E...

Bal 2

Tim-Tim


“Tem dias que a gente se sente, como quem partiu ou morreu...”
É essa é minha frase de retorno...
E retorno assim... Meia boca...
Precisava desse espaço hj como preciso do ar que respiro...
E se me perguntarem o que está acontecendo...Eu só sei dizer: não sei.
Esperei por um amor a vida toda... E agora?! O que faço com ele?!
O que faço com as pessoas que nos tornamos?!
Quando vejo seu rosto volto a 20 anos atrás... Adolesço... E vem um sentimento gostoso... Uma coisa meio que de filme...
Trocamos juras... Juras que nunca foram feitas por ele... E que agora tenho o prazer de escutar... Sorver cada palavra de carinho... Como se fosse um débito de afeto que tenho guardado...
Mas ai vem a realidade... Quem somos hj?!
Definitivamente não somos os mesmos...
Tornamos-nos adultos, e com essa transformação vieram tantas outras... É aquela coisa tipo: “Eu não caibo mais na roupa que eu cabia”... E vc olha no espelho, e não é mais o mesmo...
Esse resgate me parece incoerente... Em vão... Pq O TEMPO NÃO VOLTA ATRÁS!!!
Estamos fingindo pra quem?!
A porra da Urgência de Afeto tilinta aos ouvidos de quem não encontrou sua outra metade... Ou se encontrou... Deixou escapar... Deixou que o tempo te reconstruísse... E nessa reconstrução perde-se pedaços irrecuperáveis.
Quem eu era... Eu não sou mais... Não há a menor possibilidade de resgatar aquela menina 14, 15, 16, 17... Ela simplesmente não existe mais.
E não sei se a dor hj é por saber que tratasse de um amor impossível pois ambas as partes já não existem... Ou se é por ter que aceitar que aquela menina não existe mais.
Descobri hj que a pior despedida que se pode ter... É se despedir de vc mesma...
Por hora fico aqui quietinha... Esperando que as palavras que tem que ser ditas não tenham que sair da minha boca...
Sim, sou covarde.
Por hj fico cá, com essa tristeza... Queria uma vida emprestada... Ou, no mínimo...Um dia pronto amanhã.
E como diz minha amiga, Bal2: “Sempre existe um último drinque”.
Descobri hj que esse drinque foi servido... Basta fazer o brinde... E seguirmos nossas vidas!

Beijos de despedida!!

Bal1
Ps: Welcome to my life...

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Do silêncio para festa.........



Tenho a estranha mania de olhar para trás, em todas as situações. Parece uma um modo que encontrei para ter certeza das coisas que estou deixando.
Olho, não volto.
Já que uma decisão minha é sempre definitiva.
Um namoro que acabou, acabou.
Mas eu olho para trás.
Dá para entender?
Não...sei, sei que é confuso, tentarei explicar.
Se termino um namoro, tenho como basta aqueles tramites todos de um namoro, olho verifico o que deixei escorrer...caso volte ao ponto final, tenha certeza que sempre abro um novo parágrafo, não apago o ponto.
Namoros fintados nunca voltam a ser namoro de novo
[ As coisas não voltam]
Entendeu?
Essa ladainha toda foi para falar que estou olhando tanto para trás que andei esquecendo de olhar para frente, a verificação estava intensa...
O ano acabou...meu trabalho denuncia isso a cada instante...
Então de um tempo para cá estou revendo tudo o que fiz e deixei de fazer.
Estou no balancete do saldo positivo ou negativo. Uma coisa pesa, a outra não move nada e assim vai...até agora posso dizer que foi um ano linear.
Que coisa sem sal, nada mais sem graça que algo morno, reto, óbvio....
Mas foi assim, dei o melhor de mim e o melhor foi aguado... Fiquei a deriva, vendo as coisas acontecerem, entende?
Não entrei na festa.
Fiz da vida um silêncio profundo. Às poucas vezes que saia para mergulhar, voltava afogada até a alma, exagerava e não aproveitava nada. Era tão intenso que nem eu alcançava.
Foi assim... O porquê do pretérito da história se ainda temos 40 dias pela frente?
Por que do nada, em meio a tanta coisa óbvia e rotineira, as coisas bagunçaram. Parece que começa algo novo, o silêncio acabou, às 8hs dormidas está escapando, o coração deu sinal de vida, a música está se fazendo alta...

Meu ano acabou de começar. Acho que precisei de tanto silêncio para agora poder dar a sonora gargalhada SINCERA que estou dando agora, nunca houve tanta sinceridade em mim.
Sinceramente....
Bal 2



Ps; Está chovendo...adoro noites de chuva!

domingo, 9 de novembro de 2008

De volta


Ontem conversando com um amigo, toquei no assunto que tinha um blog. Essa coisa de blog esta sublimado já tem alguns meses, direto abro a página e olho, começo a escrever e paro. Vale lembrar que odeio sublimar, embora sublime muitas coisas, mas quando estoura sai cobras lagartos e afins.

Esse rami-rami todo é para falar que voltei...atrasada eu sei, a última vez que escrevi foi sobre o platonismo, que...deixa pra lá.

Voltei, pronto e acabou!

Ando tão prática ultimamente, ou é ou não é...deixar de sofisma é o que me interessa...vou entender do mesmo jeito e prometo perdoar.

Ontem foi dia de programa a la bal 2, quem me conhece sabe: 3 cervejas, almoço gordo, siesta e depois filme com pipoca.

Encontrei Bal 1 no MSN, nossos encontros sempre são no mínimo um jogo de códigos e conclusões sem fim, nós entendemos tudo só não respeitamos. Pois não é que a criatura virou a filha da Cinderela!!!! Depois eu que tenho a síndrome do sapatinho de cristal!!!

Por que a filha da Cinderela?

Simples, porque está sento mil vezes mais ingênua que a faxineira que encontrou 3 fadinhas e foi para festa na abóbora.

E o pior a culpa é minha!

Tem dias que não tenho muita coisa para fazer...pronto confessei!

Como o computador fica na minha frente eu fico criticamente passeando pelo orkut, um site de relacionamento que alavancou a venda de câmeras digitais, e que todas as pessoas ali desconhecem a palavra problema.

Nesses meus passeios encontrei o primeiro namorado dela, mais do que depressa mandei o link para amiga e em menos de 1 semana ela me liga: Amiga, vou casar e você vai ser madrinha!!!

Opa, estamos aí!!!

- Mas quando vai ser isso?

- Quando ele voltar de Boston, mas você tem que ser madrinha.

Opa, estamos aí 2!!!!!

Lá vem...se eu não conhecesse a peça daria os parabéns, já teria comprado o vestido e fazendo aqueles cursos de padrinhos todo santo dia. Acho que o casamento vai sair, e nossas dialéticas só vão aumentar. Ela com certeza esta pregando canutilho por canutilho em seu vestido. Amiga CORAGEM E SORTE!!!!!!

Por isso ela sumiu tanto. E vai continuar por muito tempo.

Então eu vou assumir esse lugar aqui.

(hoje acordei totalitarista).

Quanto a mim, tudo quase do mesmo jeito.

Mudei um pouquinho, estou mais calma, com um sorriso freqüente e com uma paciência de fazer inveja a Jó.

Mas uma vez deixei o amor para segundo plano, sem culpa e muito menos traumas. Arrisco umas paixões que passam com a chuva, trabalho é meu sobrenome, voltei com fúria para o reiki o que tem me feito essa coisa “fofinha” que está parecendo aqui, vou fazer o nível III, ai eu quero ver. Ando brincando muito com o desconhecido, quero ser apresentada a ele.

Quando falei lá em cima que agora é 8 ou 80, é por que simplesmente não quero longas explicações e nenhuma conclusão.

Tenho muita coisa para contar, mas hoje é domingo...vou fazer o programa a la bal 2 parte2, para isso preciso sair vagando para comprar os enfeites da minha festa particular.

Por hora só esse textinho muito do chato...é só para assombrar mesmo!

Volto logo... A festa autista já vai começar.


Beijos sem inspiração.

Bal 2