Follow by Email

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Se eu pudesse voltar no tempo...




Todos sabem que trabalho com educação, tenho uma escola em sociedade com minha irmã.
Final de ano é uma época decisiva para os alunos e para nós também.
Ou passa de ano ou repete o ano escolar.
Hoje uma de minhas alunas queridas, chegou chorando muito e junto com tantas lágrimas contou que tinha reprovado, que não sabia o que fazer vida e que só tinha ido lá para me contar.
Claro consolei, expliquei que não sem pesar a reprovação acontece em nossas vidas, mas não é o fim do mundo, que para tudo se tem um jeito e que no caso dela o jeito era repensar o ano letivo perdido e fazer do que está por vir um melhor, com mais desejo e responsabilidade.
Já sem chorar, mas com uma voz inundada de desespero ela falou:
- Eu queria tanto voltar no tempo, ter estudado mais, ter ido a menos festas, ter escutado a chata da minha mãe...mas não Bal2 agora vou repetir um ano todo e ainda vou ter que ver meus amigos na série seguinte, é muito humilhante!
Em partes concordei, conseguia entender exatamente o que estava falando...Muitas vezes tive vontade de voltar no tempo também e é sobre isso que vou falar hoje.


Se eu pudesse voltar no tempo o que eu faria?



Vasculhando em minhas memórias, juro que faria muito pouca coisa de forma diferente.
A primeira coisa que me veio à mente foi MEU PAI, não consigo lembrar de um instante que faria de outra forma os nossos momentos, pois com ele sempre fui totalmente plena, não houve em hipótese alguma ausência de nenhum dos mais belos sentimentos por isso não há arrependimentos. Há sim a vontade demasiada de um último abraço... O abraço forte que só ele soube dar, isso não seria voltar no tempo mas sim a realização de um grande desejo.
Com minha Mãe, teria batido menos boca, teria tido mais paciência e entendido que as coisas que ela fala tem seus motivos de ser e que na maioria das vezes ela só está assustada com a independência de sua criança mimada, fui muito mimada por ela...aliás sou até hoje. Somos duas mulheres de gênios fortes e até hoje às vezes me pego querendo brigar ou discutir, mas lembro que por traz de uma palavra que seja sempre tem muito sentimento, por isso me calo e escuto, acho que deveria ter falado mais Eu te amo, como faço hoje.
Meus irmãos são meus tesouros, nada a voltar atrás.
Teria terminado as 3 faculdades que entrei..ai isso eu me arrependo, e agora a dura penas ( pela exaustão) estou terminando a primeira, isso é culpa da minha mania de ser autodidata ou achar que sou. Modéstia a parte, nunca precisei muito de professores para aprender as coisas. Mas que a realidade seja dita também, isso não deixa de ser uma ignorância . Hoje poderia ser uma doutora.
Nunca teria pedido para o meu amigo me ensinar a fumar, nunca mesmo! Até por que fui uma aluna exemplar, na primeira lição aprendi e entrei no curso integral e hoje estou na maior luta para sair e está bem complicado conseguir a conclusão de curso...Ai que péssimo!
Teria agido com a razão e não com a emoção quando o Amor da minha vida, perguntou cheio de expectativas se eu iria embora para o interior de São Paulo, para namorar seu rival, teria respondido que só precisava ficar um pouco longe dele, sentir novas sensações, mas que é era por ele queeu sentia amor. Mas não, falei que sim e que entre nós só restava sermos amigos. Até bem pouco tempo atrás ele jogou isso na minha cara, embora hoje esteja casado e tem um lindo filho. Até hoje quando falo em amor lembro dele... “TOCAREI EM SEU NOME PARA PODER FALAR DE AMOR...é isso.

Gente, estou aqui numa caça aos arrependimentos há 30 minuto...parei de digitar, e fiquei pensando...não encontrei nada mais e ainda cheguei a uma constatação:dessa lista aí de cima só me arrependo de verdade do cigarro e das faculdades...se bem que se eu tivesse me formado em Administração de Empresa e Pedagogia no Sul do País não estaria aqui cometendo tantas realizações, ao lado da minha família e dos meus amigos.
Quanto à resposta que dei ao Amor, era aquela que saiu de mim naquele momento.... Inevitavelmente acredito que de qualquer forma não estaríamos juntos agora... Confesso que acredito em destino!
Minha Mãe conhece mais do que ninguém sua cria e o gênio forte eu herdei dela, por isso sei que muitas vezes nossas discussões só nos aproximaram mais e mais, tanto que hoje se eu for pedir desculpas por alguma coisa ela vai danar por não entender o que eu estou falando..hahahah.
Gente, a verdade é não faria nada diferente (tirando o cigarro)..não consigo me arrepender de nada nessa vida.Faria tudo de novo do mesmo jeito.
Acho que hoje apesar dos pesares que a vida carrega, a minha no caso...tudo tem sido tão bom, até os maus momentos, sabe aqueles que a gente quer parar tudo?
Que revoltamos até com nossas crenças?
Pois é, até nesses momentos ando conseguindo tirar vantagem, pois eu acabo saindo dessas fases ilesa e um pouco mais forte.
Sei que isso aqui está parecendo um trecho fuleiro de um livro de auto-ajuda, mas é assim que vejo as coisas e eu tenho plena certeza que é por tudo o que passei e eu tentasse refazer qualquer coisa talvez não tivesse essa estranha mania de ter fé na vida.

E você, mudaria algo?

Beijos curiosos.
Bal 2

2 comentários:

nat disse...

Aiiii que coisa mais linda de ler.
Bal1 eu mudaria tantas coisas e ao contrario de voce me arrependo de mais...
A única coisa que não me arrependo de verdade foi ter casado com o seu irmão, porque foi com ele e é por causa dele que estou conhecendo o que é ter uma casa feliz e ser uma pessoa melhor por causa de outra pessoa!
Tbm brigaria menos com a minha mãe!
Bom mesmo foi ter conhecido todas as pessoas que eu conheci ate hoje.
Engraçado como consigo me lembrar de todas, e como todas fizeram um pouco de diferença na minha vida!
tenho que ir passar as minhas roupas... kkkk
Fiquem com Deus

Amo-te

Nat disse...

E quanto a sua aluna, eu passei por isso tambem, é muito ruim quando somos a mais velha da sala... rs
Bom mais aprendemos e fazemos diferentes depois.
Tudo vem para aprendermos com os erros passados.
Tenho certeza que ela se sentirá melhor ao fazer tudo de novo e ver como pode agir diferente agindo de forma mais madura.